Perto de anunciar Bryan Ruiz e Sánchez, Santos negocia com 3 centroavantes

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Bryan Ruiz, que defendeu a Costa Rica na Copa, é o reforço mais próximo no momento

    Bryan Ruiz, que defendeu a Costa Rica na Copa, é o reforço mais próximo no momento

O Santos espera anunciar nesta semana a contratação de dois jogadores que disputaram a Copa do Mundo, da Rússia. Tratam-se de Bryan Ruiz, da Costa Rica, e Carlos Sánchez, do Uruguai. Além da dupla de meio-campistas, o presidente José Carlos Peres e companhia projetam fechar o "pacote de reforços" com a aquisição de um centroavante.

Para isso, o UOL Esporte apurou que eles negociam com três nomes para fechar com apenas um: Franco Di Santo, do Schalke 04, da Alemanha, Jonathan Álvez, do Junior Barranquilla, da Colômbia, além de  Joaquin Ardaíz, atacante uruguaio de 19 anos e que retornou de empréstimo ao El Tanque Sisley, do Uruguai, após defender o Antuérpia, Bélgica. Os representantes da "promessa uruguaia" negociam diretamente com Peres e Ricardo Gomes, diretor executivo de futebol.

Antes do centroavante, a ideia é fechar com Bryan Ruiz e Sánches. As negociações estão bastante adiantadas, mas não fechadas. O meia costarriquenho chegou às 6 horas (de Brasília) desta segunda-feira, em São Paulo, onde realizou exames médicos.

O clube paulista não divulgou o resultado, mas os profissionais do clube já foram informados antes dos exames de que Bryan Ruiz não possui histórico de lesões graves em sua carreira.

Nesta terça-feira, o estafe do jogador chega ao Brasil terça-feira para acertar os últimos detalhes do contrato. A vontade da diretoria santista é anunciá-lo até esta quarta-feira.

O costarriquenho receberá pouco menos de R$ 400 mil de salário mensal, mas com luvas parceladas e impostos, o jogador deve custar aproximadamente R$ 600 mil mensais aos cofres do clube paulista.

Santos espera retornar do México com Sánchez na "bagagem"

Sánchez, por sua vez, precisa responder se aceitou a última proposta do Santos. Os dirigentes do clube paulista esperam retornar do México com o uruguaio que pertence ao Monterrey, equipe que venceu os brasileiros em amistoso no último sábado.

A equipe santista ainda realiza o último amistoso contra o Querétaro, nesta terça-feira, às 23h (de Brasília), no estádio Corregidora, e retorna ao Brasil no dia seguinte.

Os valores de salário e luvas, além do tempo de contrato, continuam sendo os empecilhos para um desfecho feliz por parte dos santistas. Sánchez só aceita reduzir a sua pedida salarial se o Santos aumentar o tempo de contrato em sua proposta. O clube paulista ofereceu dois anos de acordo, mas o uruguaio "bate o pé" por três temporadas. A diretoria avalia que não cabe oferecer um vínculo maior por conta da idade do jogador, que tem 33 anos.

Depois de muitas propostas e contrapropostas, os valores "travaram" da seguinte forma: Sánchez pediu US$ 1,6 milhão (R$ 6,2 milhões) de salário por temporada, US$ 133 mil por mês (R$ 516 mil), enquanto o Santos oferece US$ 1,2 milhão (R$ 4,6 milhão) por ano, US$ 100 mil por mês (R$ 383 mil).

O Santos deu uma espécie de "xeque-mate" em Sánchez e aguarda uma resposta urgente sobre a última oferta. Para destravar o negócio, a diretoria santista enviou a proposta derradeira com US$ 100 mil (R$ 387 mil) de aumento. O clube paulista avisou que aceita pagar US$ 1,3 milhão (R$ 5 milhões) de salário por ano, US$ 108 mil por mês (R$ 416 mil), em contrato de duas temporadas.

Antes de negociar com Sánchez, a diretoria santista chegou a um acordo com o Monterrey para conseguir a liberação do meio-campista pelo pagamento de US$ 1 milhão (R$ 3,7 milhões). O contrato do uruguaio com o clube mexicano é válido até dezembro deste ano.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos