Messi ou Neymar: quem veste a 10? Como seria o esporte se a Ursal existisse

Thiago Rocha

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • AP Photo/Siu Wu

    Trio MSN de volta? Só a Ursal seria capaz de realizar esse sonho

    Trio MSN de volta? Só a Ursal seria capaz de realizar esse sonho

Promovido para que a população conheça melhor os candidatos antes de ir às urnas nas próximas eleições, o que mais repercutiu no primeiro debate entre os presidenciáveis, exibido pela Band nesta quinta-feira (9), não foram as ideias por um país melhor, e sim uma teoria da conspiração.

Desde que Cabo Daciolo (Patriotas) interpelou Ciro Gomes (PDT) sobre o que ele teria a dizer sobre o "Plano Ursal", nas ruas e nas redes sociais a pergunta foi a mesma: mas que raios seria a Ursal?

Trazida à tona por Daciolo no debate, Ursal é a sigla para União das Repúblicas Socialistas da América Latina. Diz a lenda que seria um projeto para unir todos os países da América Latina em apenas uma nação, a Pátria Grande, com regime socialista (ou comunista, há divergência de ideologia entre os especialistas no tema), planejado por lideranças políticas do continente, como Fidel Castro e Lula. Há até um site, o Dossiê Ursal, que sugere 100 evidências da existência dessa união secreta entre povos. 

Politicamente (e racionalmente, diga-se), é uma ideia absurda e sem lógica, um sinal dos novos tempos, em que qualquer devaneio ganha vida e se espalha em forma de verdade. Mas como o brasileiro não desiste nunca, veja pelo lado bom: esportivamente, a Ursal seria espetacular. Duvida?

9 títulos mundiais

REUTERS/Chaiwat Subprasom

Para começar, a seleção da Ursal já nasceria como a maior campeã do futebol. Somando os títulos de Brasil (cinco), Argentina e Uruguai (dois cada), seria eneacampeã mundial. E agora, Alemanha, o gol é de quem?

Escolha o 10: Messi ou Neymar

David Ramos - FIFA/FIFA via Getty Images

Atual campeã mundial, a França tem Mbappé como camisa 10. Outras seleções europeias penariam para escalar alguém digno para usar o místico número. Isso não seria um problema para a nova pátria de chuteiras, pois camisa 10 a Ursal teria de sobra. Messi ou Neymar, quem seria o escolhido? E ainda tem James Rodríguez...

Uma máquina de gols

Reuters / Kai Pfaffenbach

Não existiria ataque mais avassalador do que o da Ursal. Seria uma oportunidade para formar novamente o trio MSN: Messi, Suárez e Neymar, que chegaram a marcar 122 gols na mesma temporada pelo Barcelona. Caberia até um esquema mais ousado, com quatro atacantes, incluindo Cavani. No banco: Gabriel Jesus, Firmino, Dybala, Falcão García... Sem dúvida o deca viria no Qatar-2022.

Faltam os símbolos da nova nação

Buda Mendes/Getty Images

Mas, para consolidar essa nova ordem mundial da bola, algumas decisões precisam ser tomadas. Por exemplo, o hino nacional. Ficaria uma junção dos que já existem um novo seria criado? E as cores da Ursal? Seguindo a teoria de criação, teria de ser vermelha, o que pode desagradar grupos mais radicais.

No Twitter, alguns usuários se arriscaram a sugerir modelos de uniforme para a seleção de Ursal, como esse abaixo:

É o fim de uma tradição?

Lucas Uebel/Getty Images

Outra dúvida pertinente sobre o futebol: se a Ursal unirá os países latinos, como fica a Libertadores? Vai virar um grande Brasileirão? Ou será um Estadual sem fronteiras? Já deu para notar que a futura entidade a ser criada, a Confederação de Futebol da Ursal (o nome é uma mera sugestão), terá muito trabalho pela frente.

Surge uma nova potência olímpica

Reprodução/Twitter/pyeongchang2018

Estabelecer a Ursal significaria também acabar com a cultura monoesportiva impregnada na América. O sonho brasileiro de virar potência esportiva seria, enfim, uma realidade. À disposição nos Jogos Olímpicos, a Ursal teria o vôlei brasileiro, o basquete argentino, o ciclismo colombiano, o boxe cubano e o atletismo caribenho - infelizmente, a Jamaica não faria parte da Pátria Grande, segundo as poucas fontes de informação disponíveis sobre o Plano Ursal.

Na política e no esporte, a Ursal exerceria o peso antes presente no bloco que originou a União Soviética, no século passado. Enfim, nações dominantes como Estados Unidos, China, Rússia e Reino Unido ganhariam um rival à altura.

Se a União das Repúblicas Socialistas da América Latina se tornará realidade um dia, ninguém sabe. Mas fica o agradecimento ao candidato Cabo Daciolo por agraciar o Brasil com essa intrigante, porém saborosa, teoria da conspiração. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos