Tottenham faz história ao não contratar ninguém para a temporada

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Mike Hewitt/Getty Images

    Mauricio Pochettino, treinador do Tottenham, não recebeu reforços para o próximo ano

    Mauricio Pochettino, treinador do Tottenham, não recebeu reforços para o próximo ano

Em uma pré-temporada agitada e repleta de contratações bombásticas na Europa, o Tottenham entrou para a história pela contramão. O clube de Londres passou a janela de transferências do verão europeu, encerrada nesta quinta-feira (9) para os ingleses, sem contratar ninguém.

Zero reforço, mas também nenhuma baixa no elenco. Desde que o conceito de mercado de transferências atual foi introduzido na Premier League, na temporada 2002-03, será a primeira vez que um integrante da primeira divisão da Inglaterra iniciará uma temporada sem ter negociado ou adquirido um jogador sequer.

Para não dizer que não há novidades no Tottenham, a única movimentação de mercado ocorrida foi o fim do empréstimo do atacante holandês Janssen, cedido ao Besiktas. da Turquia, até 30 de junho. Ele será reincorporado ao grupo treinado por Maurício Pochettino, terceiro colocado na edição passada do Campeonato Inglês e classificado à próxima Liga dos Campeões.

Na temporada 2017-18, os londrinos investiram 121,5 milhões de euros (R$ 532 milhões) nas duas janelas de transferências, segundo o site Transfermarkt. Um dos reforços incorporados foi o atacante brasileiro Lucas Moura.

A nulidade no mercado da bola, porém, tem explicação. A prioridade financeira do clube foi a conclusão do novo estádio, que será inaugurado em 15 de setembro, em jogo contra o Liverpool, pela quinta rodada do Inglês. Ainda assim, o Tottenham foi bastante criticado nas redes sociais por não brigar por novos jogadores enquanto os rivais não pouparam esforços para se reforçar.

Erguido no mesmo local onde ficava a antiga arena, o White Hart Lane, o Tottenham Hotspur Stadium terá capacidade para 62 mil espectadores e custo total de 850 milhões de libras (cerca de R$ 4,2 bilhões).

Coadjuvantes roubam a cena na janela

Karl Bridgeman/West Ham
O meia brasileiro Felipe Anderson reforça o West Ham

Os 20 clubes da Premier League movimentaram cerca de 1,2 bilhão de libras na janela encerrada nesta quinta-feira, ou aproximadamente R$ 5,8 bilhões. Liverpool e Chelsea foram os que mais gastaram, mas os clubes de menor expressão deram as cartas no mercado da bola entre os ingleses.

A grande surpresa foi o Fulham. Recém-promovido à primeira divisão, o modesto clube de Londres desembolsou 102 milhões de libras (R$ 497,7 milhões) de seu orçamento em reforços.

Outros destaques ficam por conta de West Ham e Everton, que juntos desembolsaram 176,7 milhões de libras (R$ 862,2 milhões) em reforços, entre eles os brasileiros Felipe Anderson, Bernard e Richarlison.

Já os bilionários clubes de Manchester foram mais comedidos do que em anos anteriores. Atual campeão nacional, o City foi o grande que menos gastou: 63,1 milhões de libras (R$ 308 milhões), enquanto o United pagou 70,9 milhões de libras (R$ 346 milhões) em reforços.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos