Marques explica ida de joia do Atlético-MG ao Palmeiras: "exemplo negativo"

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

    Ruan Marvyn (à dir.), jovem do Atlético-MG, interage com o zagueiro Gabriel (ao centro)

    Ruan Marvyn (à dir.), jovem do Atlético-MG, interage com o zagueiro Gabriel (ao centro)

O Atlético-MG enviou o jovem Ruan Marvyn ao Palmeiras por empréstimo até dezembro de 2019. A saída do jogador de 18 anos, de acordo o coordenador das categorias de base Marques, se deu devido aos atos de indisciplina do jovem.

O dirigente se pronunciou sobre o atleta na tarde desta quinta-feira (6) e explicou a negociação com o Verdão. Ele alega que os atos de indisciplina do defensor na Cidade do Galo o levaram para o futebol paulista.

"Me chamou muita atenção, porque este é um atleta que tem me dado muito trabalho nesses oito, nove meses de Atlético Mineiro, a ponto de tirar muitas noites de sono. A sua parte disciplinar, infelizmente, é muito ruim. Nós demos todas as chances a ele para que se redimisse, para que entrasse dentro do padrão que entendemos da base. Mas infelizmente não foi possível. Falo isso com muita segurança, porque é um atleta com quem me desgastei muito. É o atleta que mais vezes me visitou na sala da base. Tentamos de todas as formas colocá-lo na linha, a ponto até de subi-lo para o profissional, como uma última cartada para colocá-lo dentro de disciplina no Atlético Mineiro", comentou.

A ida de Ruan para o Palmeiras será até o fim do próximo ano. O contrato de empréstimo tem uma cláusula que permite a compra de 50% de seus direitos por R$ 600 mil. Caso queira adquiri-lo ao fim de 2019, o Palmeiras terá que pagar o dobro - R$ 1,2 milhão. O Galo permanece com 30% de seus direitos econômicos. Os moldes do acordo foram divulgados pelo jornal Hoje Em Dia e confirmados pelo UOL Esporte.

Marques explica que o trabalho nas divisões de base do Galo é feito prezando a disciplina do jogador.

"Hoje, no Atlético nós primamos pelo comportamento, pela disciplina e pelo exemplo. E mesmo sendo um exemplo negativo, ele serve de forma positiva para todos que estão integrados na base do Atlético", afirmou.

"Eu não posso, gente, e isso a gente tem que deixar bem claro, à frente de mais de 250 garoto, o que é uma responsabilidade imensa, que um ato ou atos de indisciplina como ele cometeu tirem nossa direção do trabalho. Vocês me conhecem há muito tempo, sabem da minha seriedade, da minha responsabilidade à frente deste projeto que é gigante. Por isso, tomamos essa decisão com muita segurança. Torcemos que ele dê certo no Palmeiras, porque é um ativo nosso também. Caso não seja possível, receberemos ele de braços abertos. Mas é importantíssimo que ele respire outros ares. Se ele voltar lá na frente, que volte melhor do que está saindo hoje. Esse é o nosso objetivo com essa negociação", disse. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos