Ricardo Oliveira conta com gols e liderança por mais tempo no Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

Uma renovação que surpreendeu a quase todos. O advérbio mostra que houve quem não se espantasse com a extensão do vínculo de Ricardo Oliveira no Atlético-MG por mais uma temporada. O desempenho e a liderança extracampo foram fundamentais para a manutenção do atleta por mais 12 meses.

A nova duração do contrato do veterano de 38 anos foi acertada entre o diretor de futebol Alexandre Gallo e os agentes Augusto Castro e Oldegard Filho - o novo acordo se encerra em dezembro de 2020. Para manter o atacante, a diretoria avaliou alguns aspectos. Os dois principais foram a eficiência ofensiva e a influência sobre o elenco comandado por Thiago Larghi.

Os números atestam o rendimento do centroavante. Embora viva a maior seca desde que chegou à Cidade do Galo - já são cinco jogos sem marcar -, ele é o artilheiro do plantel no ano, com 18 gols. Além disso, é o terceiro melhor assistente, com seis passes para gols. Ele está atrás de Juan Cazares, com sete, e Rómulo Otero, com nove.

No triunfo sobre o São Paulo, na noite dessa quarta-feira, já de contrato renovado, o centroavante participou ativamente do gol. Ele cabeceou a bola na trave e, na sequência, viu Régis mandá-la contra o próprio patrimônio.

Fora de campo, o perfil de líder é algo que sobressai. O discurso que durou mais de 11 minutos em sua entrevista da última terça-feira ilustra a importância do atacante nos bastidores.

Ao ver a cobrança por melhora de rendimento do time, que estava sem vencer há três partidas, o jogador se colocou como escudo de diretoria, comissão técnica e plantel. Em seu discurso público, pediu à torcida mais apoio nos jogos e prometeu retribuir com dedicação dentro das quatro linhas. Juan Cazares, um de seus pupilos no grupo, assistiu à coletiva com muita atenção.

Mas o que fez em frente às câmeras ainda é pequeno perto do que tem contribuído no cotidiano da equipe. Com uma retórica impecável e forte poder de convencimento, conversou com os colegas de vestiário no início da semana a fim de cobrar melhoras e passar confiança. A maneira de agir fez com que se tornasse imprescindível para o clube na visão da diretoria. A cúpula comandada por Alexandre Gallo e Sérgio Sette Câmara o classifica como fundamental para os anos seguintes. Ambos creem que o camisa 9 será importante liderança em um elenco repleto de jovens talentos.

"Essa negociação vinha acontecendo desde a semana passada. Isso aí [liderança] é uma situação natural dele. Ele exerce uma liderança extremamente positiva, principalmente com os mais jovens. Pelos dados físicos dele, temos convicção e tranquilidade de que ele vai nos dar fruto por muito tempo", comentou o diretor de futebol Alexandre Gallo.

O caso mais emblemático de Ricardo Oliveira no elenco é a interferência direta na permanência de Róger Guedes, após uma reunião com o diretor de futebol Alexandre Gallo e outros líderes do elenco.

De contrato renovado, o centroavante de 38 anos seguirá em Belo Horizonte pelo menos até o fim de 2020. O seu novo contrato foi uma opção da diretoria.

"O objetivo [da renovação] é dar uma tranquilidade para ele [Ricardo Oliveira]. Essa tranquilidade é importante", declarou Gallo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos