Apoio de Lucas a Bolsonaro repercute até na Inglaterra e gera debate

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Ian Kington/AFP

    Lucas defendeu Bolsonaro e movimentou uma grande discussão nas redes-sociais

    Lucas defendeu Bolsonaro e movimentou uma grande discussão nas redes-sociais

São raros os casos de jogadores brasileiros expondo opiniões sobre assuntos polêmicos, como política e eleições. No entanto, na última segunda-feira, o meia Lucas Moura movimentou as discussões nas redes sociais ao declarar apoio à candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) à presidência. O brasileiro viu a simples opinião se tornar pauta até na Inglaterra, país em que mora atualmente por defender o Tottenham Hotspur.

Imediatamente ao anúncio do apoio, declarado em respostas a usuários que reclamaram de uma 'curtida' do jogador na página do deputado, Lucas começou a discutir com torcedores que condenam o posicionamento do candidato Bolsonaro, que segue internado em São Paulo depois de ser vítima de uma facada na semana passada.

O alcance do debate transcendeu o Brasil, e ingleses, por intermédio de suas contas no Twitter, também alimentaram a conversa sobre o discurso defendido pelo meia brasileiro, ainda mais depois de veículos como a AP e o The Sun traçarem um perfil de Jair Bolsonaro para relatar o post do camisa 27 dos Spurs.

Veículos britânicos de imprensa e comentários nas redes sociais ressaltaram o fato de Bolsonaro defender posições polêmicas, ligadas à extrema-direita, e ser acusado de ser racista e homofóbico devido a declarações no passado. 

Muitos ainda o chamaram de "Donald Trump" brasileiro e compararam as declarações de Lucas à foto tirada pelo meia da seleção alemã Mesut Özil com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan - líder que está no poder há 15 anos e é acusado de repressão a opositores.

"Geralmente, o prêmio de jogador do mês [vencido por Lucas em agosto] mostra jogadores em queda. Então, Lucas Moura foi descuidado e apoiou algum político de extrema-direita", escreveu o torcedor do Tottenham Sam Marks.

O típico sarcasmo britânico também foi usado para comentar a opinião do meia brasileiro. "Lucas Moura, 'extremo direito' [ponta direita]. Há uma piada que mistura futebol e política que não existe", brincou o usuário Green_Windmill ao comparar a visão eleitoral ideal do jogador com a função exercida em campo.

"Realmente, não esperávamos que alguém fora do Brasil estivesse discutindo a atividade de Lucas Moura no Twitter nesta noite. Apenas o mais recente em uma linha que parece ficar cada vez mais longa. Piadas sobre a seleção ter o seu 'extremo direito' são bem-vindas", acrescentou o jornalista Rupert Fryer.

O crescimento do assunto na Inglaterra gerou interações com fãs brasileiros; alguns saíram em defesa de Lucas e de Jair Bolsonaro. "Lucas Moura e nem o candidato que ele apoia é nazista. Não é porque o candidato é de extrema-direita e conservador que ele é nazista. Pelo contrário, Bolsonaro é um dos poucos candidatos honestos no Brasil", discursou @Coluna_SPFC.

Vale lembrar que o Tottenham, clube de Lucas Moura, é conhecido por sua torcida de cunho liberal e heterogêneo, com fortes posições contra o preconceito. A equipe conta com uma torcida da comunidade LGBT, a Proud Lilywhites, que costuma frequentar os estádios com uma bandeira que mistura o símbolo do arco-íris com o escudo do time.

O posicionamento de Lucas a Bolsonaro não é o primeiro entre atletas do futebol brasileiro. Atletas como Felipe Melo, do Palmeiras; Roger e Jadson, do Corinthians, já declararam apoio ao candidato.

Afastado da campanha enquanto se recupera no hospital, Bolsonaro aparece na liderança da corrida eleitoral no primeiro turno, segundo pesquisa do DataFolha divulgada na última segunda-feira, com 24% das intenções de votos.

Bolsonaro, porém, também aparece como o candidato de maior rejeição, com 43% dos eleitores ouvidos pelo instituto. Em simulações de segundo turno promovidas pelo instituto, o candidato do PSL perderia contra Ciro Gomes (PDT), Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB) e empataria tecnicamente em uma disputa com Fernando Haddad (PT).

O UOL Esporte tentou contato com Lucas Moura para falar sobre a repercussão das declarações do jogador nas redes sociais. A assessoria do atleta, porém, afirmou que ele não se pronunciará sobre o assunto.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos