Diretor do Vasco se diz surpreso com rescisão de Wagner na Justiça

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Paulo Fernandes/Vasco

    Wagner entrou na Justiça contra o Vasco cobrando salários atrasados; clube vai recorrer

    Wagner entrou na Justiça contra o Vasco cobrando salários atrasados; clube vai recorrer

O diretor-executivo de futebol, Alexandre Faria, foi o escolhido como porta-voz da diretoria no treino desta terça-feira para comentar sobre todo o cenário de crise instaurado no Vasco. O dirigente se declarou surpreso com a atitude do meia Wagner, que obteve uma rescisão contratual em primeira instância na Justiça do Trabalho.

"Claro que fomos pegos de surpresa. Vínhamos conversando sobre a possibilidade de uma renovação. Ele tinha interesse em permanecer, inclusive manifestando isso algumas vezes para vocês (jornalistas). Queria ter um contrato de três anos, mas no momento em que se pede a rescisão, é porque, de repente, ele não estava dentro deste processo como um todo. Mas não estou aqui para fazer juízo de valor. O Vasco entende que ele está absolutamente regularizado. Na minha visão está mesmo, mas não sou advogado e isso não é competência do departamento de futebol. Por aqui estamos focados em quem está comprometido com o clube", declarou.

No início da noite, a CBF publicou a rescisão do atleta. Faria admitiu que o jogador o comunicou sobre a proposta do Al-Khor, do Qatar, mas negou ter sido avisado sobre a ação na Justiça.

"Não comunicou. Ele jogou as duas partidas já com o processo em andamento", disse se referindo aos jogos contra Santos e Vitória.

O diretor-executivo informou ter conversado com o elenco sobre o episódio e que os jogadores revelaram que o meia deixou o grupo deles de Whatsapp sem avisar.

"Tudo é conversado com os jogadores. A relação é de homem para homem. Os jogadores estão surpresos. É óbvio que já conversei com os jogadores, não tem criança aqui. Todos estão surpresos. Segundo eles, o Wagner saiu do grupo deles de Whatsapp e não falou nada para ninguém", declarou.

Por meio de nota oficial, o Vasco revelou ter feito um acordo com a Caixa Econômica Federal para pagamentos parcelados dos FGTS's em atraso dia 30 de agosto, antes da ação de Wagner, o que, na visão do clube, não coloca o Cruzmaltino em situação de irregularidade.

Ainda no conteúdo, o Vasco informou que irá recorrer da decisão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos