Topo

Futebol


Tite cita agressividade após 5 a 0 e lamenta "não poder escolher europeus"

Pedro Martins/MoWa Press
Imagem: Pedro Martins/MoWa Press

Pedro Lopes

Do UOL, em Washington (EUA)

12/09/2018 00h43

Apesar da boa vitória da seleção brasileira, Tite não conseguiu fugir dos questionamentos a respeito do baixíssimo nível técnico do adversário do amistoso desta terça-feira (12), em Washington (Estados Unidos). Assista aos gols da partida.

Após o 5 a 0 sobre El Salvador, o treinador tentou justificar a escolha da equipe e ressaltou a agressividade ofensiva do Brasil "independente de quem fosse o adversário".

"A gente não tem a oportunidade de escolher europeus, é uma informação", disse, sem citar o fato de que o Peru, também da América do Sul, enfrentou os europeus da Holanda nesta mesma janela de amistosos. "As outras estamos procurando, vamos pegar Argentina (em outubro, na Arábia Saudita). Já passei da idade de desconstruir críticas", disse um conformado Tite.

"Os Estados Unidos empataram com a França antes da Copa. São dois estágios nisso. De uma equipe com bola, o que ela busca, e no nível do adversário. Mas aí tu faz o seu papel, pressiona o adversário. Esse estágio com a posse de bola é fundamental. Mourinho certa vez falou: ''Dura é a eliminatória sul-americana''. Na europeia pega várias seleções de nível inferior, tipo uma Macedônia. Está aí para as pessoas avaliarem. Olhem o desempenho e tirem suas conclusões dentro da disponibilidade", emendou.

Ainda citando o bom desempenho ofensivo, Tite celebrou ao constatar que a equipe retomou certa alegria em jogar e não desanimou mesmo diante da frágil equipe de El Salvador.

"A ideia de futebol permanece inalterada, independe de adversário. Manter posse de bola, infiltração, finalização, é a nossa característica. A utilização de atletas, mesmo com variações de observações até por pouco tempo, acaba sendo importantes. O que mais fiquei feliz foi a retomada de uma equipe alegre e agressiva para jogar. Que toma a iniciativa independentemente do nível técnico do adversário. Ficamos constantemente em pressão alta. Ela consegue trabalhar nesse tempo todo com essa rotação".

Auxiliar vê qualidade em El Salvador

Quem teve avaliação um pouco diferente sobre a limitadíssima seleção salvadorenha foi o auxiliar técnico Sylvinho, que aproveitou a entrevista coletiva ao lado de Tite para ressaltar as qualidades enxergadas no adversário.

"Gostamos da disposição tática de El Salvador. Mais uma vez no 4-1-4-1, com muita disciplina tática. Pineda já conhecíamos, joga pela esquerda e como atacante. Foi importante e rápido", disse.

Mais Futebol