Em novo show, Mourinho se defende até por tombo: "Obcecados por mim"

Caio Carrieri

Colaboração para o UOL, em Manchester (ING)

  • Dan Istitene/Getty Images

José Mourinho adicionou mais um momento mirabolante para a sua vasta coleção em entrevista coletiva nesta sexta-feira (14). Sob pressão no comando do Manchester United, o treinador português interrompeu a conferência com a imprensa para sair em defesa própria – mais uma vez. Em pouco mais de um mês de temporada, Mourinho já bateu boca repórteres e, em outra ocasião, apareceu mais cedo do que o horário marcado para o encontro semanal com os jornalistas.

Nesta sexta, no entanto, o contexto foi outro. Diante de críticas de comentaristas ingleses por suposta falta de oportunidades em sequência para Marcus Rashford, atacante de 20 anos e considerado uma das grandes promessas do país, Mourinho discursou por quase três minutos sobre o tema. Munido de uma folha de papel com anotações à mão sobre o jogador, o técnico relatou números de partidas e tempo médio e geral de Rashford em campo, além de atacar os críticos. O jovem está suspenso da partida deste sábado contra o Watford, fora de casa.

"Posso esperar que no domingo serei criticado por não escala-lo amanhã (sábado). Algumas pessoas são obcecadas por mim e com mentiras compulsivas. Vão acordar no domingo e, como sempre, a primeira coisa em que vão pensar é em José Mourinho. Não é minha culpa que Marcus (Rashford) não vai jogar. Ele está suspenso", disse.

"Se vocês não se importarem em perder alguns minutos comigo, vou fazer algo para os torcedores do United, não para vocês (jornalistas). Acredito que devo satisfação aos torcedores", avisou, antes de falar ininterruptamente por dois minutos e 40 segundos antes de concluir. "Comigo, em duas temporadas ele jogou 105 vezes, atuou 5.744 minutos, incluindo cinco finais. As pessoas que opinam sobre Rashford estão confusas".

"Todo mundo sabe que algumas pessoas têm dois salários, trabalham também para clubes", afirmou, em provocação a ex-jogadores que atuam como comentaristas de TV e embaixadores de clubes. "Quando isso acontece, não são independentes e conduzem as situações do jeito que querem. É humano, mas não é ético. Sinto muito pelas pessoas que pensam em José Mourinho e Manchester United logo ao acordar. Há coisas muito mais interessantes para se fazer na vida".

O comandante do United só deixou de lado o tom áspero quando o assunto foi o tombo que ele levou no último sábado em Wembley, onde a Espanha venceu a Inglaterra por 2 a 1, na rodada de estreia da Liga das Nações – Rashford marcou o gol inglês.

"Fiz aquilo de propósito, então vocês poderiam falar um pouco mais sobre mim. Foi uma boa queda (risos). Sem pênalti, só amarelo (por simulação)", brincou.

Questionado sobre o desempenho de Fred no Manchester United, Mourinho se apoiou na recente participação do jogador nos amistosos da seleção brasileira e adotou uma resposta evasiva. "Não sei dizer sobre a evolução de Fred porque não o vejo há 15 dias. Só hoje vou voltar a vê-lo, então não sei sobre o progresso dele".

Na décima posição na Premier League, com duas vitórias e duas derrotas em quatro rodadas, o United enfrenta neste sábado o Watford, que tem 100% de aproveitamento. "Está claro: quatro jogos, 12 pontos. Foram três partidas em casa, então podemos falar de alguma vantagem. O início, no entanto, é fantástico, com atuações fortes e consistentes. Parabéns ao Javi Garcia e aos jogadores dele pelo trabalho", disse Mourinho.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos