Topo

Futebol


Cliente de Kia, brasileiro inicia trajetória em seleção portuguesa de base

Divulgação
Imagem: Divulgação

Lucas Pastore e Marcus Alves

Do UOL, em São Paulo e Lisboa (POR)

2018-10-08T04:00:00

08/10/2018 04h00

A seleção portuguesa sub-18 que se apresentou no dia 24 de setembro para um período de treinos tinha sangue brasileiro. Entre os convocados, estava Pedro Neves, conhecido também como Pepe, atacante nascido em São Paulo que pertence ao Everton, da Inglaterra, e é agenciado por Kia Joorabchian.

A cidadania portuguesa é uma das heranças do bisavô de Pepe, que carrega a família como parte de sua carreira na Europa. O pai, a mãe e a irmã do jogador moram como ele na Inglaterra, país em que ele reside para poder defender o Everton.

O atacante defende o clube inglês há cerca de um ano e meio. No começo, a cidadania portuguesa chegou a ser um entrave, já que o regulamento da Uefa proíbe que jogadores mudem de país antes dos 16 anos de idade. Por isso, ele teve de esperar até o 16º aniversário para poder firmar compromisso com o clube.

O novo contrato veio com ajuda do empresário de Kia, um dos empresários mais influentes do futebol europeu. Para se ter uma ideia, Marquinhos, Willian e Philippe Coutinho estão entre os clientes do agente, que até circulou no hotel da delegação de Tite em Washington no começo de setembro.

Kia não costuma agenciar jogadores de base, o que torna Pepe um caso especial. Além de Bernard e Richarlison, que também jogam no Everton, David Luiz, Andreas Pereira e Felipe Anderson são outros clientes brasileiros do empresário no futebol inglês.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Nas categorias de base do Everton, Pepe já tem contato com os compatriotas Bernard e Richarlison, reforços da equipe profissional para a temporada 2018/2019.

"O Bernard sempre me dá uns toques, me fala sobre posicionamento. Procuro sempre escutar os conselhos para um dia pode chegar no nível dele", contou Pepe, ao UOL Esporte.

O jovem é acompanhado pela Federação Portuguesa de Futebol desde a categoria sub-14. Por ter cidadania, faz parte do plano de prospecção da entidade. O UOL Esporte apurou que, antes de fechar com o Everton, ele chegou a despertar o interesse do Benfica e do Sporting, grandes clubes do país.

Pesa também o fato de Pepe estar em uma liga que costuma ser acompanhada com mais carinho na Europa. Até mesmo a relação com Kia pesa a favor pela influência do empresário.

Recentemente, Fernando Santos, técnico da seleção portuguesa principal, acenou com o fim da convocação de jogadores naturalizados. Abriu como exceção a possibilidade de comandar jogadores que desenvolvam algum tipo de relação com o país deste cedo. E Pepe, já chamado pela terceira vez para as equipes de base, diz se ver neste grupo.

"Me sinto em casa. Toda vez que venho, sempre me tratam muito bem. Me dou muito bem com todos os jogadores", contou.

Com passagem pelas categorias de base do Corinthians, Pepe, no entanto, ainda não descarta a possibilidade de defender a seleção brasileira. O atacante pode mudar de camisa até defender uma das duas equipes nacionais profissionalmente.

"São duas grandes seleções. É uma decisão difícil. Uma tem o Neymar, e a outra tem o Cristiano Ronaldo. Com calma, a gente vai decidindo. O foco é estar sempre em boa forma no clube", contou.

Enquanto isso, Pepe vai começando a ocupar seu espaço no Everton. Espaço este que é preferencialmente a ponta esquerda.

"Gosto de jogar mais aberto. Sou um atacante que parte para cima e corta para dentro para tentar a finalização. Gosto de dar velocidade e procuro sempre o passe ou o chute de fora da área", explicou, citando Neymar como referência.

Mais Futebol