Pablo Escobar queria matar Ricardo Gareca, mas desistiu

Do UOL, em São Paulo

  • Martin Meissner/AP Photo

O amor de Pablo Escobar pelo futebol salvou a vida de Ricardo Gareca, ex-técnico do Palmeiras e atual comandante da seleção do Peru. A declaração foi feita por John Jairo Velásquez, antigo sicário do narcotraficante colombiano, em entrevista ao jornal peruano "El Popular" antes de ser preso.

Escobar era torcedor fanático do Independiente Medellín e acompanhava de perto o América de Cali, comandado pelo cartel local. "Escobar conhecia todos os jogadores do América de Cali, estávamos em guerra. Ele, inclusive, sequestrou jogadores do time para que entregassem os Rodriguez (Gilberto e Miguel, irmãos líderes do cartel de Cali e influentes no clube). Como não entregaram, mataram a família de Pedro Enrique Sarmiento", afirmou.

Sarmiento foi meia do América de Cali e atuou mais tarde como treinador, inclusive, do próprio Independiente Medellín. Em novembro de 1989, seus sogros foram mortos a tiros em Medellín, na Colômbia.

Velásquez afirmou que Ricardo Gareca também estava na mira de Escobar, mas o amor do narcotraficante pelo futebol o fez desistir de matá-lo. "Chegaram a cogitar colocar uma bomba no carro dele e de outros jogadores do América de Cali, já que o Cartel de Cali colocou uma bomba no carro da família de Pablo", prosseguiu.

Ricardo Gareca atuou como jogador no América de Cali entre 1985 e 1989, conquistando o Campeonato Colombiano. Em 2005, ele voltou ao clube como treinador.

UOL Cursos Online

Todos os cursos