Tite vê "ataque abaixo" e quer recuperar outros jogadores que foram à Copa

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Jeddah (Arábia Saudita)

  • Pedro Martins / MoWA Press

O técnico Tite falou após a vitória do Brasil por 1 a 0 no amistoso contra a Argentina, nesta terça-feira (16), em Jeddah, na Arábia Saudita. O treinador avaliou como ?bom desempenho? o futebol apresentou pela seleção brasileira, mas viu o ?ataque abaixo? do esperado. Fora isso, o técnico também disse que espera contar na próxima convocação com jogadores que estiveram na Copa do Mundo da Rússia, mas que ainda não foram lembrados após o Mundial.

Assista aos melhores momentos de Brasil 1 x 0 Argentina

"Gostei mais do Gabriel Jesus como 9 no outro jogo, mas ele está retomando seu melhor momento. Hoje, (o ataque) foi abaixo", disse.

Tite comentou sobre o futebol apresentado dentro de campo ao falar de Philippe Coutinho. "Eu vou falar do Coutinho. Se pegar jogadores que trabalham nesse último terço, vão errar mais. Do lado esquerdo, a gente sabe que ele é muito agressivo. Tem um ótimo passador: o Filipe Luis. Tem que ter cuidado para não ter muitas modificações. Considero o desempenho bom, não extraordinário?, explicou.

A seleção volta a campo daqui um mês, quando disputará mais dois amistosos. O Uruguai é o único adversário definido até o momento, e o duelo será realizado no dia 16 de novembro, em Londres. Tite revelou que espera contar com jogadores que foram à Copa da Rússia, mas que não voltaram a ser chamados.

?É um pepino e um desafio. É difícil montar a equipe. Se você observou as últimas convocações, teve 13 jogadores da Copa. A gente vai acompanhar os atletas que ainda não tiveram oportunidades para estar aqui. Tem atletas que estão e foram para a Copa e eu quero trazê-los. Não sei quantificar isso. E dar oportunidade dentro de uma estrutura", declarou.

Calor e roupa árabe

No final da entrevista, o treinador também falou sobre a receptividade na Arábia Saudita e comentou sobre o calor. 

"Eu quero fazer um agradecimento. Quase coloquei a roupa tradicional árabe em forma de agradecimento. A forma com que vocês nos receberam, foram prestativos, nos deixaram muito à vontade. Fica aqui o agradecimento", afirmou.

"O calor úmido retira a velocidade do jogo. O agradecimento é no cunho esportivo, que é nossa área. Não transcende para outras áreas. O calor tira a velocidade, o oxigênio não vai para o cérebro, e você começa a ter erros. O calor úmido é forte e desgastante", acrescentou.

Juca Kfouri vê Brasil x Argentina "monótono e sem ideias"

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos