Topo

Futebol


Renato volta a ser psicólogo e meta é evitar "fim de festa" no Grêmio

Pedro Vale/AGIF
Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, tenta evitar desmobilização em reta final do ano Imagem: Pedro Vale/AGIF

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

2018-11-09T04:00:00

09/11/2018 04h00

Renato Gaúcho tem um lado psicólogo, dito pelo próprio, e vai precisar explorar essa faceta nas próximas semanas. Fora da Libertadores, o Grêmio reúne forças para jogar as últimas seis rodadas do Campeonato Brasileiro como nunca fez sob o comando do treinador. A luta interna é para evitar clima de 'fim de festa', ou seja, uma desmobilização interna.

Com 55 pontos, o Grêmio sonha com uma vaga direta à fase de grupos da Libertadores de 2019. Para isso, precisa superar São Paulo ou Flamengo. O Inter, com 61 pontos, também está de certa forma ao alcance.

No Grêmio, a reta final da temporada de 2018 é bem atípica e justamente por isso a figura de Renato será importante. Nos últimos dois anos, o clube se mobilizou de forma total a cada duelo mata-mata e acumulou mais êxitos do que fracassos. Por outro lado, sempre deixou os pontos corridos de lado. A hora de virar a chave é agora.

Na última quarta-feira (7), Renato reuniu os jogadores em um dos gramados do CT e manteve conversa debaixo de sol intenso e diante das câmeras. Ali, o treinador começou a trabalhar o emocional do grupo e falar sobre os planos para os jogos finais da temporada.

O elenco atual tem como característica atuar de maneira plena em jogos decisivos, mas, de forma crônica, apresentou uma espécie de ressaca após essas partidas. Como quando empatou com Bahia após golear o Tucumán pela Libertadores, ou a desclassificação na Copa do Brasil que veio em seguida da vaga heroica às quartas da competição continental conquistada contra o Estudiantes.

Também houve deslize em compromissos prévios a grandes duelos, como empates contra Paraná e Inter e a derrota para o Botafogo antes de jogos da Libertadores. Independente de usar reservas eventualmente. Algo que não pode acontecer no mês final do ano.

O Grêmio ainda encara Vasco, São Paulo, Chapecoense, Flamengo, Vitória e Corinthians. Os dois confrontos diretos ajudarão na mobilização, porém os outros quatro compromissos podem ser tão ou mais decisivos justamente pela falta de apelo imediato.

"Por se tratar de confrontos diretos, se a gente fizer nossa parte, podemos ficar no G4. Só dependemos de nós e vamos buscar isso. Se der, vamos vencer todas as partidas. Mas sabemos que é algo difícil", comentou Ramiro, volante do Grêmio.

Diante do Vasco, no final de semana, o time titular conta com a volta de Maicon e Kanneman. Luan ainda têm chances de atuar, mas depende de reavaliação médica.

Mais Futebol