Corinthians usou dinheiro da Copa do Brasil para pagar premiações de 2017

Do UOL, em São Paulo

  • Werther Santana/Estadão Conteúdo

    Parte dos campeões paulista e brasileiro em 2017 só recebeu prêmio recentemente

    Parte dos campeões paulista e brasileiro em 2017 só recebeu prêmio recentemente

O Corinthians recebeu cerca de R$ 20 milhões da CBF como premiação por ter alcançado a final da Copa do Brasil nesta temporada. No entanto este valor não será usado para investir em estrutura ou contratar jogadores para 2019, pelo contrário. Segundo o diretor financeiro Matias Romano Ávila, a quantia já foi usada para sanar dívidas e quitar premiações de atletas que foram campeões no ano passado.

"Nós pagamos algumas dívidas recorrentes do clube, estamos reduzindo o nosso déficit; e principalmente pagamos as premiações aos jogadores do ano passado, [dos títulos] do Campeonato Brasileiro e do Paulista. Estamos liquidando nossas despesas para tentar zerar o déficit no mais curto prazo possível", promete o diretor financeiro corintiano à TV oficial do clube.

Com base no balanço financeiro do Corinthians, até setembro deste ano o clube havia gastado R$ 26,2 milhões a mais do que havia recebido. Está, portanto, no vermelho. Tal déficit se dá por vários motivos, sendo o principal a ausência de um patrocinador principal na camisa. O clube vendeu uma série de atletas e cortou despesas administrativas, o que impediu que o déficit no período fosse ainda maior.

Há um ano o Corinthians estava no vermelho em R$ 38 milhões (46% a mais do que os R$ 26 mi atuais). Isso quer dizer que em 2018 o clube tem contido mais seus gastos do que na temporada anterior, cortando na carne e tentando compensar a diminuição das receitas (são R$ 52 milhões a menos em patrocínio, por exemplo). "Esta redução deve-se a renegociações de contratos, para ter um custo financeiro menor, além da redução de despesas administrativas, que é um fator muito positivo", diz Ávila.

Andrés fala em contratações

Em bate-papo com o diretor financeiro do clube, o presidente Andrés Sanchez voltou a prometer contratações, "mas com os pés no chão". "Contratação é fácil fazer, mas pagar R$ 700 mil, como tem jogador pedindo, nós não vamos fazer. Nós vamos contratar jogador na média salarial que o Brasil aceita. Tem time brasileiro pagando 700, 800, um milhão de reais [de salário], e a conta virá um dia — como veio a do Corinthians. Não tem segredo", discursa Andrés, que viajou à Europa nesta semana para, segundo ele, tratar de reforços para o ano que vem.

"Não adianta pagar salário deste tamanho sem garantias de que o jogador vai chegar e render o que se espera, senão depois tem que pagar o salário o contrato inteiro sem contar com o jogador. Temos que tomar muito cuidado nas contratações. Estamos montando um time jovem. Virão reforços para o ano que vem, para um time competitivo, mas com pé no chão", completa o dirigente alvinegro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos