Topo

Futebol


Paquetá revela "dorzinha" por deixar Fla, mas projeta retorno: "um dia"

Rafael Melo/Estadão Conteúdo
Lucas Paquetá vai se despedir do Flamengo contra o Atlético-PR neste sábado, no Maracanã Imagem: Rafael Melo/Estadão Conteúdo

Do UOL, no Rio de Janeiro

30/11/2018 16h32

O Flamengo se despede neste sábado de uma de suas maiores joias dos últimos tempos. Quando Lucas Paquetá entrar em campo diante do Atlético-PR, no Maracanã, será a última vez que o torcedor rubro-negro o verá com a camisa do clube. Isso porque ele defenderá o Milan-ITA a partida de janeiro.

O jogador revelou estar sofrendo com a mudança. Evidentemente que está empolgado com a novidade de morar na Itália e defender um dos grandes clubes do mundo. Por outro lado, deixar sua casa, onde foi criado e viveu a maior parte da sua vida não é das sensações mais fáceis.

"Conversei com minha esposa e minha mãe que estou com medo de deixar o Flamengo, uma sensação que nunca vivi. Tenho amor a essa camisa e sempre fui feliz jogando aqui. Saio com aquela dorzinha de deixar a minha casa. Sabe? Mas com a certeza de que um dia voltarei", disse Lucas Paquetá em entrevista coletiva.

"São lembranças muito boas do meu primeiro dia entrando no CT para fazer teste com o professor Mauro Felix. E toda uma história construída minha, da minha família, um Flamengo diferente, que também engrandeceu, e eu vou levar no meu coração", completou o meia do Flamengo.

Até por conta de todas essas lembranças, Lucas Paquetá sabe que o último ato no Maracanã será emocionante. Segundo ele, o momento não é de ficar pensando em como será a despedida, mas em viver o momento e ganhar mais três pontos para o Flamengo.

"Não me preocupo com chorar ou não. Apenas em viver o dia de amanhã da melhor maneira possível. Dar o meu melhor, fazer a alegria da torcida e agradecer muito", completou.

Por fim, o jovem atleta buscou na experiencia de amigos e companheiros informações sobre o próximo destino. Paquetá mostrou viver uma clima leve e sem preocupações. Vive um dia de cada vez. Nem mesmo o idioma é uma preocupação.

"Conversei com o Juan sobre a Itália, conversei com o Kaká, eles me passaram algumas coisas. Devo ir agora em dezembro para resolver últimos detalhes. Até agora só aprendi o "grazie". Mas vou aprendendo o italiano aos poucos", finalizou.

Mais Futebol