Topo

Futebol


F. Melo defende Bolsonaro em festa do deca: "Quer chamar quem está preso?"

reprodução/Instagram
Imagem: reprodução/Instagram

Arthur Sandes e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

04/12/2018 20h15

Felipe Melo não vê problema na presença do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) na festa do título brasileiro do Palmeiras. Para o meio-campista, a polêmica em torno desta questão se resume a "mimimi".

"Normal, normal, é o nosso presidente. Quer chamar quem? Quem está preso? P... mimimi do caramba", respondeu o jogador nesta terça-feira (4), durante evento do Troféu Mesa Redonda, da TV Gazeta. Trata-se de uma provável referência ao ex-presidente Lula, preso em Curitiba (PR).

A polêmica se estende desde domingo, dia em que Bolsonaro ergueu a taça do decacampeonato em meio ao elenco alviverde. Luiz Gonzaga Belluzzo, ex-presidente do Palmeiras, declarou que a presença do presidente eleito é um fator "extremamente contraditório à história do Palmeiras".

O técnico Tite, da seleção brasileira, disse que não aceitaria um encontro da seleção brasileira com Bolsonaro antes da disputa da Copa América em 2019, por exemplo. O treinador sempre deixa claro que não pretende misturar política e futebol.

O Palmeiras convidou Bolsonaro para assistir ao jogo da entrega da taça em um camarote e não se opôs quando a CBF, responsável pela cerimônia, chamou o político para participar da festa no gramado.

O presidente eleito entregou medalhas, levantou o troféu, tirou fotos com atletas e deu até volta olímpica com o elenco. O presidente alviverde Maurício Galiotte e a maior parte dos jogadores também não manifestaram problema em ter Bolsonaro junto na comemoração.

Mais Futebol