F. Melo defende Bolsonaro em festa do deca: "Quer chamar quem está preso?"

Arthur Sandes e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

  • reprodução/Instagram

Felipe Melo não vê problema na presença do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) na festa do título brasileiro do Palmeiras. Para o meio-campista, a polêmica em torno desta questão se resume a "mimimi".

"Normal, normal, é o nosso presidente. Quer chamar quem? Quem está preso? P... mimimi do caramba", respondeu o jogador nesta terça-feira (4), durante evento do Troféu Mesa Redonda, da TV Gazeta. Trata-se de uma provável referência ao ex-presidente Lula, preso em Curitiba (PR).

A polêmica se estende desde domingo, dia em que Bolsonaro ergueu a taça do decacampeonato em meio ao elenco alviverde. Luiz Gonzaga Belluzzo, ex-presidente do Palmeiras, declarou que a presença do presidente eleito é um fator "extremamente contraditório à história do Palmeiras".

O técnico Tite, da seleção brasileira, disse que não aceitaria um encontro da seleção brasileira com Bolsonaro antes da disputa da Copa América em 2019, por exemplo. O treinador sempre deixa claro que não pretende misturar política e futebol.

O Palmeiras convidou Bolsonaro para assistir ao jogo da entrega da taça em um camarote e não se opôs quando a CBF, responsável pela cerimônia, chamou o político para participar da festa no gramado.

O presidente eleito entregou medalhas, levantou o troféu, tirou fotos com atletas e deu até volta olímpica com o elenco. O presidente alviverde Maurício Galiotte e a maior parte dos jogadores também não manifestaram problema em ter Bolsonaro junto na comemoração.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos