Time espanhol criou "Big Brother" para espionar atletas e árbitros

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

Um caso de "Big Brother" envolvendo o Granada, da segunda divisão espanhola, foi descoberto pela polícia no último mês. Foram encontradas cinco câmeras escondidas até em detectores de incêndio para espiar jogadores e árbitros.

O inquérito policial ao qual o jornal "El Mundo" teve acesso apontou como responsável Ángel González Segura, ex-diretor de compras, operações e infraestrutura do clube. Ele foi demitido com a chegada do novo diretor-geral Antonio Fernández Monterrubio.

O caso foi descoberto com a chegada da nova gestão ao clube, liderada pelo empresário Jian Lizhang. As câmeras eram posicionadas nos corredores de acesso para os vestiários dos jogadores e árbitros do estádio Nuevo Los Cármenes, além de outras no centro de treinamento.

A primeira investigação policial aconteceu no dia 7 de novembro. Dois dias depois, empregados do Granada avisaram as autoridades da existência de ao menos três câmeras escondidas, mas apenas uma tinha seu local sabido.

No dia 19 de novembro, os policiais constataram a existência de uma terceira câmera posicionada em um teto falso.

O Granada ocupa a terceira colocação da segunda divisão do Campeonato Espanhol com 31 pontos. Três clubes sobem para a elite espanhola.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos