Santos cita até R$ 111 milhões de Rodrygo para seduzir técnicos

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Divulgação/Santos

    Rodrygo festeja gol do Santos contra o Botafogo; jovem foi vendido ao Real Madrid

    Rodrygo festeja gol do Santos contra o Botafogo; jovem foi vendido ao Real Madrid

O Santos utiliza todas as suas armas para contratar um substituto para Cuca, que passou por cirurgia no coração e deixou o clube. Segundo apurou o UOL Esporte, além de um "salário de ponta" de cerca de R$ 800 mil mensais, a diretoria utiliza o dinheiro da venda de Rodrygo ao Real Madrid para seduzir técnicos disponíveis no mercado.

Isso porque o Santos ainda receberá 25 milhões de euros (cerca de R$ 111 milhões) do clube merengue até o meio de 2019. Rodrygo foi vendido por 50 milhões de euros (R$ 223 milhões), mas o Real Madrid só pagou metade do valor até o momento. O acordo entre os clubes prevê que o restante seja depositado somente na entrega do jogador, em julho do ano que vem.

Em conversas com os seus pretendentes a técnico em 2019, a diretoria santista prometeu que investirá boa parte deste montante em reforços, além de modernizar o CT Rei Pelé e até a Vila Belmiro.

Abel Braga, que rejeitou a proposta santista porque analisa sondagens do Flamengo e até da seleção da Colômbia, foi o primeiro a ouvir a promessa da diretoria santista referente à grana que o clube ainda receberá pela venda de Rodrygo.

A diretoria santista se gaba dizendo que pagou muitas dívidas com bancos nesta temporada e, por isso, terá mais dinheiro para investir em reforços no ano que vem.

Em 2018, o presidente José Carlos Peres investiu muito pouco em reforços. O clube iniciou o ano contratando Gabigol, Dodô e Eduardo Sasha, todos por empréstimo, e fechou com os gringos Bryan Ruiz, Derlis González e Carlos Sánchez para o segundo semestre.

O Santos encerrou o ano contratando o atacante Felippe Cardoso, da Ponte Preta, único reforço que chegou após pedido de Cuca. Ele iniciou mal, ficando grande parte do segundo semestre no departamento médico, mas foi utilizado na reta final do ano e mostrou qualidade.

Apesar de contratar pouco, a diretoria deu "tiros certos" pois Gabigol foi o artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 18 gols, e Sánchez se tornou ídolo da torcida em poucos meses de clube. Além disso, Derlis González se efetivou como titular e roubou a posição de Bruno Henrique, e Dodô fez a torcida esquecer rapidamente o lateral Zeca, que acionou o clube na Justiça e depois foi trocado por Sasha com o Internacional.

Apenas Bryan Ruiz, que chegou fora de forma, e Romário, lateral que foi contratado pela antiga diretoria, não emplacaram com a camisa santista. O costarriquenho terminou o ano realizando bons jogos e subindo de produção, enquanto o lateral foi emprestado ao Ceará e retorna ao clube em janeiro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos