Topo

Futebol


Conversa com Lucho e novos ares: a decisão de Marco Rúben pelo Athletico-PR

CARC/Site Oficial
Marco Rúben se despediu do Rosário e irá defender o Athletico em 2019 Imagem: CARC/Site Oficial

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

2019-01-08T09:58:21

08/01/2019 09h58

Marco Rúben é do Athletico-PR. O atacante de 32 anos se juntará ao Furacão, passará por exames médicos e será apresentado nos próximos dias, aguardando a inscrição no BID (Boletim Informativo Diário, da CBF), com a janela internacional se abrindo no dia 10. Nesta segunda-feira (07), ele se despediu do Rosário Central, da Argentina, clube pelo qual iniciou a carreira e venceu a Copa Argentina em 2018.

"Uma nova etapa. É o fim de uma muito importante, quem sabe a mais importante da carreira. Mas senti que tinha que dar esse passo. Bem, seguindo adiante, melhor como jogador e como pessoa. É um passo importantíssimo na minha carreira e muito difícil, pelo que significa deixar esse clube. Tomei essa decisão e a diretoria me acompanhou. Foi tudo consentido entre todas as partes, estou muito contente", disse o jogador.

Um personagem importante na transferência de Marco Rúben ao Brasil foi o também argentino Lucho González, capitão do Furacão. Ambos conversaram muito sobre a oportunidade de jogar na equipe que também disputará a Libertadores deste ano, à exemplo do Rosário, que estará no grupo do Grêmio. O Athletico encara Boca Juniors, Jorge Wilstermann (Bolívia) e Tolima (Colômbia) na primeira fase, além de disputar a Recopa Sul-Americana contra o River Plate, em datas e locais a confirmar.

Nas entrevistas com o staff do Furacão, Marco Rúben destacou os índices de Pablo, recém-transferido ao São Paulo, para optar pelo Athletico em detrimento de outras propostas, como as de Grêmio e Santos. Pablo foi o atacante que mais vezes tocou na bola no futebol brasileiro, o que lhe possibilitou marcar muitos gols - os índices são medidos por uma empresa de estatística que trabalha com o Furacão, Palmeiras e Grêmio, a Kin Analitycs.

Os problemas pessoais, como a morte do avô em um assalto e a luta do pai contra um câncer também complicaram o desempenho do atacante nas últimas duas temporadas. "Eu aqui (em Rosário) quero estar bem, 100%, não gosto se não estou assim. Perdi muita coisa por muitos motivos, que não valem a pena mencionar. Há seis meses já não pensava em estar aqui, não estava rendendo como pretendia. Então nesse momento pensei numa mudança de ares." 

O atacante renovou o contrato com a equipe argentina antes de ser cedido ao Furacão por um ano, por empréstimo, no valor de US$ 200 mil mais impostos. Ele chegará ao Brasil com direitos fixados em pouco mais de US$ 1,8 milhão, caso o Athletico deseje exercer o direito de compra ao final do período.   
 

Mais Futebol