Por assédio sexual e racismo, polícia inglesa procura torcedores do Chelsea

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Reprodução/Wide World of Sports

    Os quatro torcedores que ofenderam Sterling foram suspensos por tempo indeterminado

    Os quatro torcedores que ofenderam Sterling foram suspensos por tempo indeterminado

A polícia inglesa está à procura de um grupo de torcedores do Chelsea que assediou mulheres e fizeram cantos racistas dentro de um trem em Londres. O incidente ocorreu na derrota por 1 a 0 dos 'Blues' contra o Leicester, pelo Campeonato Inglês, no dia 22 de dezembro de 2018. 

Em comunicado oficial, a Polícia Britânica de Transportes afirmou que os torcedores fizeram as ofensas racistas na frente de famílias e crianças pequenas, enquanto isso, outros homens assediavam mulheres dentro do vagão. 

Uma publicação do jornal inglês 'Daily Mirror' mostrou um dos depoimentos de uma das testemunhas do incidente. 

"No dia 22 de dezembro, um grupo de cerca de 20 torcedores de futebol embarcaram na estação Freat Western Service às 18h22 e começaram a fazer comentários racistas e abusivos na frente de famílias e crianças. Eles também foram vistos atacando sexualmente várias mulheres a bordo do trem", disse a testemunha. 

No dia 8 de dezembro, também do ano passado, torcedores do Chelsea fizeram ofensas racistas contra o atacante Raheem Sterling, do Manchester City. Neste caso, quatro adeptos da equipe londrina não poderão assistir os jogos no Stamford Bridge por tempo indeterminado. 

Além disso, antes do duelo pela Liga Europa, contra o Videoton FC (HUN), torcedores do Chelsea foram fotografados em um bar em Budapeste, na Hungria carregando uma bandeira dos 'Blues' que tinha um símbolo nazista. 

O Chelsea volta a campo nesta terça-feira (08), pela Copa da Liga Inglesa, contra o Tottenham, no estádio de Wembley, às 18h (horário de Brasília). 
 

UOL Cursos Online

Todos os cursos