Reforço milionário do Atlético-MG quase foi para a Portuguesa-RJ em 2016

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

    Zagueiro Igor Rabello faz exames pelo Atlético-MG

    Zagueiro Igor Rabello faz exames pelo Atlético-MG

Contratado por R$ 13 milhões à vista pelo Atlético-MG, Igor Rabello nem sempre ostentou a pompa dos dias de hoje. Em 2016, antes de acertar a ida para o Náutico, o zagueiro quase foi emprestado à modesta Portuguesa-RJ devido a uma parceria com o Botafogo pela utilização do Estádio Luso-Brasileiro.

Sem espaço na equipe carioca, o defensor seria emprestado a um clube de menor expressão. A primeira ideia do Botafogo foi levá-lo ao Madureira. A situação, porém, não avançou por desejo dos agentes de Igor Rabello. 

Na sequência, a ideia era emprestá-lo à Portuguesa-RJ. Havia um acordo entre os dois clubes cariocas para empréstimo de atletas por conta da utilização do estádio Luso-Brasileiro. Insatisfeitos com a intenção do Alvinegro Carioca, os representantes do atleta rechaçaram a possibilidade e passaram a procurar uma equipe na Série B.

O Náutico foi o escolhido após uma reunião entre a diretoria do clube pernambucano e o então técnico Alexandre Gallo.

Gallo havia comandado Igor Rabello nas divisões de base da seleção brasileira e via potencial no garoto que acabara de 21 anos.

"Em 2016, quando foi para o Náutico, ele foi afastado do Botafogo. À época, o Botafogo queria emprestá-lo para o Madureira ou para a Portuguesa. A gente não concordava com isso. É muito difícil você empregar um garoto saindo do junior. A gente começou a procurar uma Série B. Tinha vários clubes que tinha contato. O treinador dele na seleção brasileira estava lá [no Náutico]. Era o [Alexandre] Gallo, que foi diretor aí no Atlético. Liguei para o diretor do Náutico, expliquei a ele, e o Gallo autorizou", contou o agente Anselmo Paiva ao UOL Esporte.

A partir dali, Rabello passou a contar com a objeção do Botafogo. Os cariocas queriam levá-lo para a Portuguesa-RJ. O negócio, porém, não ocorreu por negativa dos agentes do atleta.

"A gente enfrentou o problema que o Botafogo não queria. O Botafogo queria que fosse para o Madureira ou para a Portuguesa. A Portuguesa era por causa de um contrato do estádio que eles utilizavam. O único problema que tivemos com o Botafogo foi dessa vez", acrescentou.

Depois de convencer o Botafogo, Igor Rabello foi para os Aflitos, brilhou e voltou a General Severiano no ano seguinte. As atuações de destaque deram ao jogador um novo contrato e ele passou a despertar o interesse de clubes do Brasil e do exterior.

Para ir ao Atlético-MG, os mineiros tiveram que emprestar Gabriel por duas temporadas e desembolsar R$ 13 milhões à vista. O valor foi pago por parceiros do clube. Hoje, os mineiros detêm 70% dos direitos de Rabello. O restante - 30% - pertence ao Botafogo. Em uma eventual negociação, a família do jogador terá direito a 12% do montante total. O percentual será retirado da fatia que permanece com os cariocas.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos