Reforço bancado por Felipe Neto encara dúvida por permanência no Botafogo

Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Vitor Silva/SSPress/Botafogo

    Aguirre (segundo, da esq. para dir.) tem propostas e está na dúvida sobre ida ao Equador

    Aguirre (segundo, da esq. para dir.) tem propostas e está na dúvida sobre ida ao Equador

Rodrigo Aguirre chegou ao Botafogo cercado de expectativas. Ele havia defendido o Nacional-URU e pediu para jogar no Alvinegro e viu a torcida se empolgar. A diretoria conseguiu levantar US$ 250 mil (aproximadamente R$ 800 mil) com o patrocinador Felipe Neto. Após quase um ano, o uruguaio jamais rendeu o esperado e pode estar de saída.

É que o Barcelona de Guayaquil e a LDU, ambos do Equador, fizeram ofertas para levar o atacante. O Botafogo tem contrato com o atleta até junho e pode liberar o atleta. O clube tem uma dívida de US$ 150 mil (cerca de R$ 535 mil) com o Udinese-ITA, dona dos seus direitos econômicos e a quantia seria repassada aos equatorianos.

Na última terça-feira (8), a diretoria se reuniu com o técnico Zé Ricardo que deixou a decisão nas mãos do Botafogo e do atleta. Com o Alvinegro inclinado a aceitar para se livrar da dívida, a definição do caso caberá ao próprio uruguaio.

Aguirre, no entanto, ainda não se decidiu. Com filho recém-nascido, o uruguaio não sabe se uma transferência para o Equador seria a melhor pedida para a sequência de sua carreira. Por outro lado, o atacante se mostrou seduzido com a possibilidade de trabalhar novamente com o técnico uruguaio Guillermo Almada, do Barcelona. A LDU não fica atrás já que conta com Pablo Repetto, também do mesmo país.

Soma-se a isso o insucesso de Aguirre com a camisa do Botafogo. O uruguaio pensou que seria mais aproveitado e houve certa desmotivação com a reserva em General Severiano. O desempenho nos treinamentos esteve longe de ser elogiável, por outro lado, o que justificou a falta de oportunidades.

A qualidade do jogador, no entanto, é indiscutível dentro do Botafogo. A explicação para a falta de sucesso do atleta, de acordo com fontes dentro do clube, passa mais pela adaptação de Aguirre e sua família ao Rio de Janeiro. O uruguaio é muito amigo dos demais gringos (Joel Carli e Gatito Fernández), mas não teve uma aproximação tão forte com os demais companheiros, com raras exceções.

Neste cenário, Aguirre ainda não está certo de qual será a melhor decisão a tomar. Enquanto isso ele participa normalmente da pré-temporada do Botafogo, que estreia no Campeonato Carioca no dia 20 contra a Cabofriense, no Moacyrzão.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos