Topo

Dedé trata Copa América como sonho, mas adota cautela sobre seleção

Dedé sorri durante treino da seleção brasileira em novembro de 2018 - Pedro Martins / MoWA Press
Dedé sorri durante treino da seleção brasileira em novembro de 2018 Imagem: Pedro Martins / MoWA Press

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

07/02/2019 12h00

Desde que superou as graves lesões e surpreendeu positivamente em 2018, Dedé passou a figurar nas convocações de Tite e virou presença frequente na seleção brasileira. Agora, o zagueiro do Cruzeiro está a quatro meses de concretizar a boa fase com participação na Copa América, o primeiro dos seus dois objetivos com a camisa amarela. Tratado como sonho pelo defensor, o torneio poderá se tornar mais um dos símbolos da sua volta por cima, mas a possibilidade ainda é vista com muita cautela.

No último domingo, após o Cruzeiro vencer o Villa Nova, Dedé falou rapidamente sobre o assunto e disse que jogar a Copa América é um dos seus sonhos, mas revelou não estar ansioso. O jogador disse estar focado no início de ano do Cruzeiro, que tem mais quatro compromissos no estadual antes de estrear na Copa Libertadores.

"Minha cabeça está normal, eu penso no próximo jogo que teremos no Mineirão, com a camisa do Cruzeiro, ajudando meus companheiros a sair com a vitória. É isso que vai me ajudar a chegar na seleção", afirmou.

Se jogar a Copa América é um dos sonhos de Dedé em 2019, o zagueiro ainda alimenta esperanças de defender o Brasil na Copa de 2022, quando terá 35 anos. Para isso, o zagueiro já disse se inspirar em Thiago Silva, veterano que esteve na Copa da Rússia e foi um dos destaques da seleção aos 34 anos.

Em março, além de começar a disputa da fase de grupos na Libertadores, Dedé também terá a chance de receber um novo chamado de Tite. No mês que vem, a seleção será convocada para dois amistosos. O compromisso do dia 22 ainda não tem adversário definido, enquanto o jogo do dia 26 será contra a República Tcheca. Pela Copa América, o Brasil irá estrear no dia 14 de junho, contra a Bolívia. Peru e Venezuela completam o grupo A da competição.