Topo

Futebol


Por que Arrascaeta ainda é exemplo no Cruzeiro e inspira Rodriguinho

Vinnicius Silva/Cruzeiro
Meia chegou neste início de ano e prevê parceria de sucesso com Thiago Neves Imagem: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-02-08T04:00:00

08/02/2019 04h00

Contratado pouco tempo depois da saída de Arrascaeta, a chegada de Rodriguinho ao Cruzeiro gerou dúvidas sobre a possibilidade do novo reforço poder jogar ao lado de Thiago Neves. Mas o entrosamento que o novo camisa 10 teve com o uruguaio serve agora de exemplo para provar que a nova parceria tenha retorno positivo em campo. Tanto Neves quanto Rodriguinho acreditam que podem sim atuar juntos, e jogam para Mano o quebra cabeça de como armar a equipe.

Contratado em 2015, Arrascaeta demorou a deslanchar no Cruzeiro, o que aconteceu somente a partir de 2017, sendo que o auge do uruguaio só ocorreu no ano passado. Antes disso, o jogador ficou no banco de reservas durante um tempo justamente por apresentar as mesmas preferências de Thiago Neves, ou seja, atuar na faixa central do meio-campo. Somente a partir de 2018, Mano passou a utilizar os dois juntos, com Arrascaeta auxiliando na recomposição de jogo e descendo pelo lado esquerdo do campo.

"Tem tudo para dar certo pela qualidade que ele tem, o estilo, o jogo cadenciado, de toque de bola. Jogador inteligente, que chega perto da área. Todo mundo falou que eu não daria certo jogando com Arrascaeta, mas no final foi uma dupla fenomenal", comenta Thiago Neves.

Com Rodriguinho a situação é parecida, mas Mano ainda não decifrou a melhor maneira de escalar a equipe.

"Não sei ainda (como utilizar os dois), achei que Rodriguinho foi bem dentro do que poderia ser. Vamos pensar, trabalhar para montar a equipe diferente, mas ainda não posso adiantar nada, porque ainda não sei como iremos terminar essas ideias que temos. Gosto de jogar com muita qualidade, é o que faz a diferença, mas um time precisa ser competitivo para ganhar os jogos. Não basta só jogar bonito", comentou Mano Menezes, após a estreia de Rodriguinho contra o Villa Nova, no último domingo. Naquela ocasião, o reforço entrou jogando centralizado e saiu de campo no segundo tempo justamente para a entrada de Thiago Neves.

Apesar de ainda não saber como irá utilizar a dupla dentro de campo, Mano já dá indícios de que irá utilizar Thiago e Rodriguinho juntos. Para isso acontecer e continuar com a competitividade que o treinador quer, seria preciso mudar a maneira de jogar da equipe. Uma opção seria colocar o jogador como um terceiro homem do meio-campo, preservando a dupla de volantes, ou recuando Robinho para o lugar de um deles. Porém, vale lembrar que nos tempos de Corinthians, o meia também se destacou por ser multifuncional. É essa versatilidade que dará a Mano a opção de escalar o novo reforço também como segundo volante, meia centralizado ou caindo pelos lados, ou até como um avançado mais próximo dos centroavantes. Além de mexer na atual configuração da equipe, a chegada do meia também poderá modificar o esquema tático, hoje no 4-2-3-1.

Filme repetido?

Quando chegou ao Cruzeiro, Rodriguinho lembrou de outra situação parecida e que teve desfecho positivo na carreira. Quando jogava no Corinthians, o meia já foi improvisado como centroavante e jogou um tempo praticamente como atacante, revezando seu posicionamento com as chegadas de Jadson e outros companheiros ao ataque.

"Com a experiência que o Mano tem no futebol, ele não me traria se isso (jogar ao lado de Thiago Neves) não fosse possível. Já provamos em outras oportunidades. Eu e Jadson fazíamos a mesma situação, e provamos para todos que poderíamos jogar juntos. Foi uma parceria de muito sucesso", falou Rodriguinho.

Mais Futebol