Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Marllon cobra trabalho na bola aérea e vê Corinthians "em evolução"

Marco Galvão/FotoArena/Estadão Conteúdo
Imagem: Marco Galvão/FotoArena/Estadão Conteúdo

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

11/02/2019 16h05

A terceira derrota na temporada não abala a crença de Marllon de que o Corinthians está evoluindo em 2019. O zagueiro concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira (11), no CT Joaquim Grava, e mostrou confiança na melhora da equipe apesar do desentrosamento.

"Estamos nos conhecendo ainda, ainda estamos em evolução. Foi o nosso sexto jogo; daqui a dois ou três estaremos 100%, vamos parar de tomar gols", aposta o zagueiro, que participou de metade das partidas disputadas pelo Corinthians neste ano e teve atuações seguras. 

A dupla considerada titular atualmente tem Henrique e Manoel, mas Marllon está vivo na disputa. "Ele [Carille] deixou claro a zaga está aberta. Venho trabalhando, me dedicando, para quando eu tiver oportunidade fazer bons jogos e deixar dúvida na cabeça dele", projeta.

Marllon foi discreto durante a derrota para o Novorizontino, no último domingo (10), mas o Corinthians como um todo não funcionou. Faltou jogar mais pelas pontas e principalmente velocidade, o que tornou a equipe previsível e acabou resultando no revés por 1 a 0.

"Infelizmente em alguns jogos a gente não tem ido bem, mas procuramos concentrar. São muitos reforços, as coisas andam um pouco devagar, mas estamos em crescente. Logo mais evoluiremos", acredita o defensor. "Trabalhamos forte, mas às vezes a coisa não anda. Temos que ter concentração, foco, para fazer uma boa semana de trabalho e vencer estes jogos", cobra Marllon, referindo-se à sequência de dois duelos contra o Racing (ARG) e um clássico com o São Paulo.

Expectativa por Sul-Americana

O Corinthians ainda está em construção, mas a temporada não espera. Nesta quinta-feira (14) há o primeiro dos jogos decisivos contra o Racing (ARG) pela Copa Sul-Americana, e Marllon quer a equipe ligada. "Sabemos que será um jogo muito difícil. É um time muito qualificado, os argentinos são catimbeiros. O professor Carille ainda vai passar os vídeos, vai conversar com a gente. Vamos nos concentrar ao máximo para fazer o melhor", promete.

Problemas na bola aérea persistem

O gol sofrido no último domingo foi o sexto nascido de cruzamentos em seis jogos em 2019. Nada menos do que 75% dos gols tomados pelo Corinthians são deste tipo. "Temos que trabalhar, não explicar. É um problema que tem acontecido. Procuramos melhorar nos treinos, fazer trabalho específico, treinar bola parada", afirma Marllon, que viu o Alvinegro sofrer só dois gols nas três partidas em que atuou.