Topo

Futebol


Vandalismo em Atletiba gera prejuízo de R$ 38 mil. Clubes serão cobrados

Divulgação
Imagem: Divulgação

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

12/02/2019 16h20

Os atos de vandalismo em sete terminais e quatro ônibus praticados por torcedores de Athletico e Coritiba no primeiro Atletiba do ano, disputado em 30 de janeiro, na Arena da Baixada, deixou um prejuízo de R$ 38 mil aos cofres do transporte público. O saldo está listado no relatório da Urbs (Urbanização de Curitiba S/A) entregue nesta segunda-feira (11) à Delegacia de Atendimento de Futebol e Eventos (Demafe) para investigação dos envolvidos. A empresa promete entrar com uma ação contra os clubes e torcidas organizadas.

Os terminais registram o prejuízo maior, de R$ 37.465,43. O restante é referente ao custo dos vidros quebrados nos ônibus. O próprio site da Urbs, empresa que controla o sistema de transporte público da cidade de Curitiba faz uma comparação e diz que 'o valor daria para comprar 8.815 passagens de ônibus'.

O quebra-quebra ocorreu entre 21h e 22h30 da quarta-feira (30), dia do jogo entre Athletico Paranaense e Coritiba. No relatório da Urbs constam avarias nos terminais Pinheirinho, Boa Vista, Cabral, Capão da Imbuia, Guadalupe, Santa Cândida e Vila Oficinas.

Além dos terminais, quatro ônibus foram alvos de quebradeira. "Foi feito uma avaliação mais aprofundada de imagens e também de a identificação de alguns torcedores e tudo isso foi entregue para a Demafe dar prosseguimento à investigação", disse o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto.

O terminal do Pinheirinho teve as maiores avarias. Nos banheiros foram 40 itens danificados - vasos sanitários, torneiras, válvulas de descargas. No mesmo terminal, os vândalos quebraram uma catraca de embarque de passageiros. Os veículos tiveram janelas e vidros quebrados, mangueiras de portas arrancadas e elevador de acessibilidade danificado.

Urbs promete entrar com ação contra clubes e organizadas

De acordo com o presidente da Urbs, os clubes e as torcidas organizadas dos dois clubes serão cobradas na Justiça pelo prejuízo: "Nosso próximo passo é entrar com uma ação contra os clubes e torcidas organizada para pedir ressarcimento desse prejuízo que não pode ser bancado por quem paga a tarifa".

Procurados pelo UOL Esporte, Athletico e Coritiba disseram que não irão se pronunciar sobre o assunto.

Mais Futebol