Topo

São Paulo

São Paulo anuncia volta de Cuca, mas terá Mancini como interino

Ivan Storti/Santos FC
Cuca deixou o Santos em dezembro para realizar uma cirurgia; técnico seguirá afastado até se recuperar Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

2019-02-14T16:40:09

14/02/2019 16h40

O São Paulo anunciou que Cuca será o novo treinador da equipe. Mas os problemas médicos do técnico impedem que o trabalho seja iniciado de imediato. Assim, o antigo coordenador técnico Vagner Mancini, que prometia não assumir a equipe em nenhuma hipótese, será interino nos próximos dois meses. André Jardine, antigo treinador, aceitou ficar no clube, mas ainda não teve a nova função definida.

Essas decisões foram anunciadas pela diretoria em entrevista coletiva no CT da Barra Funda na tarde de hoje. O contato com a imprensa começou com pronunciamento do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, que atribuiu a responsabilidade da queda precoce na Copa Libertadores da América à diretoria. Já as mudanças na comissão técnica foram comunicadas pelo diretor-executivo Raí.

"A decisão foi unânime", disse o ídolo são-paulino, que ressaltou o "histórico e a empatia com a torcida" e o papel na "formação da equipe vitoriosa" que conquistou até o Mundial de Clubes de 2005. Cuca, que leva o irmão Cuquinha como auxiliar, tem compromisso firmado até o fim de 2020 e só receberá salários quando assumir o comando técnico.

Raí ainda ressaltou que a sugestão de Mancini como interino foi feita pelo próprio Cuca, que prometeu iniciar seu trabalho de campo em 15 de abril, apesar das recomendações médicas para seguir por mais quatro meses descansando após cirurgia cardíaca. Mancini permaneceria, inclusive, para uma possível decisão de Campeonato Paulista.

O presidente Leco também explicou que Cuca será presente no dia a dia do clube nos dois próximos meses e que o novo treinador já está em contato com Mancini. No caso de Jardine, foi dado um período de folga para o antigo treinador e só depois será discutida a nova função dele no São Paulo. A tendência é que ele retorne a Cotia.

"Conversamos ontem de noite, de manhã e agora de tarde. Ele vai continuar ligado ao clube, por todo o potencial que tem. Vamos dar um tempo para ele aliviar um pouco a cabeça, passar alguns dias de descanso. E passando esse período vamos definir qual a melhor função para ele se sentir bem e seja bom para o clube. Ele, logo que tomamos a decisão, de pronto aceitou continuar. Se ente muito orgulhoso de fazer parte do São Paulo e de seguir fazendo parte. Infelizmente o jogo não estava rendendo", explicou Raí.

Confira o pronunciamento inicial de Leco:

"Nós estamos aqui neste momento que é triste e difícil na vida do São Paulo para externar a nossa tristeza e lamentar profundamente a ocorrência dessa eliminação tão precoce na Copa Libertadores, que é tão cara para o nosso torcedor. O torcedor do São Paulo pode ter a certeza de que estamos sentidos e sabedores que vivemos um momento especialmente adverso. E por isso estamos aqui hoje presentes para dizer que, lamentavelmente, um planejamento e uma formatação por nós estabelecidos, geraram desapontamento e essa situação difícil que vivemos. Certamente que houve, por parte da direção de futebol, totalmente amparada pela direção maior do São Paulo, todo o interesse em que nosso projeto em uma participação melhor e mais efetiva neste ano de 2019 se desenvolvesse desde o primeiro momento. E ainda que estejamos nos primórdios do Campeonato Paulista e tenhamos Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, temos frustrações e lamentamos profundamente que é um momento que não contávamos que fosse existir, com uma eliminação tão repentina e indesejável acontecesse.

PVC critica dirigentes do São Paulo na demissão de Jardine

UOL Esporte