Topo

Futebol


Richarlison tem flerte de R$ 250 milhões, mas tendência é seguir no Everton

REUTERS/David Klein
Richarlison é afagado pelo técnico do Everton, o português Marco Silva Imagem: REUTERS/David Klein

Marcus Alves

Do UOL, em Paris (FRA)

2019-04-04T04:00:00

04/04/2019 04h00

Pelo menos uma vez por mês, a maior parte dos clubes da Premier League costuma organizar um jantar para reunir o seu elenco e estreitar os laços entre seus jogadores. Quando ainda jogava pelo Watford, Richarlison quase furou um desses encontros. O motivo? Estava revoltado consigo mesmo e com o restante dos colegas após terem sido goleados por 6 a 0 pelo Manchester City, dentro de casa. Para ele, não havia qualquer clima para confraternizar naquele momento.

VEJA TAMBÉM

O episódio contado nos bastidores revela um pouco da personalidade do atacante de 21 anos, um dos nomes mais valorizados da Premier League na atualidade. Além de deixar tudo em campo, ele brilhou na frente em sua primeira temporada nos gramados ingleses e, ao fim dela, deu, então, o salto para o Everton em um negócio de 40 milhões de libras (R$ 195 milhões) que gerou grande burburinho no mercado.

A reação inicial foi de que a nova aposta de Tite na seleção não valia toda essa grana. Esse era o consenso que dominava o noticiário.

Passados pouco mais de seis meses, é seguro dizer que Richarlison derrubou todos os prognósticos que sugeriam que iria sucumbir à pressão das cifras. Com 13 gols, ele virou um dos destaques do Everton e conquistou o Goodison Park com o seu carisma e bom futebol. Para completar, deslanchou com a camisa da seleção, balançando as redes outras três vezes, se afirmando como artilheiro pós-Copa ao lado de Neymar e praticamente garantindo lugar na Copa América.

Se ainda restava qualquer dúvida em torno de seu potencial, ela foi desfeita. Um retrato disso é o assédio que o número 30 recebeu na janela de transferências de janeiro.

Segundo apurado pelo UOL Esporte com pessoas próximas ao atacante, chegaram ofertas de pouco mais de 50 milhões de libras (R$ 245 milhões) para assegurar o seu futebol. Nenhuma delas foi sequer colocada em discussão. Em reunião recente, o estafe de Richarlison ouviu que o brasileiro é "insubstituível".

Para o Everton, não existe conversa hoje por menos de 70 milhões de libras (R$ 342 milhões). O clube se encontra em situação confortável para fazer jogo duro no mercado: em primeiro lugar, o seu principal acionista, o empresário Farhad Moshiri, tem uma fortuna estimada em mais de R$ 7 bilhões. Depois, o atacante carrega uma relação de pai e filho com o técnico português Marco Silva. Por fim, se encontra mais do que adaptado à Premier League.

Não há interesse de seus representantes em forçar qualquer situação, também. Eles encontraram no Everton um parceiro. Além de Richarlison, possuem também o meia Bernard e devem aumentar ainda mais essa carta de clientes no verão europeu.

Com o seu nome ligado a Barcelona, PSG e Milan, Richarlison dá preferência por seguir na Inglaterra. O seu principal agente, Renato Velasco, que cuida mais diretamente da sua carreira, esteve recentemente ao lado do comandante do rival Liverpool, Jürgen Klopp, em sua casa.

Uma mudança para Anfield no horizonte? Ao mencionar o nome do atleta revelado no América-MG e que chamou a atenção pelo Fluminense em uma de suas coletivas no fim do ano passado, Klopp chegou a suspirar: "que jogador ele é". O seu contrato com o Everton se encerra em 2023.

Mais Futebol