Topo

Santos

Perto do Santos, Jobson foi rejeitado na base por causa de Jean Chera

Divulgação/Red Bull Brasil
Imagem: Divulgação/Red Bull Brasil

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

2019-04-14T04:00:00

14/04/2019 04h00

Quem não se lembra da eterna promessa Jean Chera? O meia tratado como joia nas categorias de base do Santos acabou saindo do clube pela porta dos fundos e nunca se tornou realidade no futebol. No entanto, o camisa 10 dos Meninos da Vila acabou impedindo, ainda que indiretamente, que outros jogadores assinassem com o Peixe, como foi o caso de Jobson.

O volante do Red Bull Brasil deu seus primeiros passos no futebol em uma escolinha Meninos da Vila, em Itapecerica da Serra. Ele disputou uma competição entre as filiais do Peixe e foi destacado pelo ídolo eterno e olheiro santista Lima, o Coringa da Vila do time de Pelé.

"Na época o Lima gostou muito dele, mas o Claudinei era o treinador e o Santos tinha o melhor time da base naquela época, com o Chera como grande promessa. O Jobson fazia a mesma função que ele, era meu camisa 10", explica Flávio Antunes, mentor de Jobson no futebol.

Então, o garoto foi parar no futsal do rival São Paulo e, posteriormente, foi para as categorias de base de outro rival, o Palmeiras. Foi no time alviverde que Jobson subiu e estreou entre os profissionais em 2015, justamente no ano em que o Palmeiras conquistou o título da Copa do Brasil em cima do Santos. Apesar de não ter ajudado na campanha, o volante se tornaria especialista em estar em times campeões.

No ano seguinte foi emprestado ao Santo André e, apesar de pouco ter atuado, viu a equipe se sagrar campeã paulista da Série A-2. Em 2017, atuou no Nacional-SP e se sagrou campeão da Série A-3 do Paulista, sendo importante na campanha do título.

As atuações despertaram o interesse do Náutico, onde Jobson terminou aquela temporada e atuou também no ano passado. Na equipe pernambucana se sagrou campeão estadual anotando o gol do título e ficou a uma vitória do acesso da Série C para a B do Campeonato Brasileiro.

Chegou então ao Red Bull Brasil no fim do ano passado. Nesta temporada foi um dos principais destaques da equipe que fez a melhor campanha da fase de grupos do Paulistão, chamando a atenção não só do Santos, mas também do Atlético-MG e de equipes de Portugal.

Contratação vira novela

Santos e Jobson já tem um acerto desde o início deste mês. Houve também um acordo entre Santos e Red Bull Brasil, e o clube do interior liberou o atleta para realizar exames médicos na primeira semana de abril. De lá para cá, os dois times não têm falado a mesma língua.

Pessoas ligadas ao Red Bull dizem que o Santos mudou a forma de pagamento acertada previamente e por isso o negócio não saiu. Já membros da cúpula do Peixe argumentam que o clube do interior passou a exigir parte do dinheiro à vista após o atraso de salários dos jogadores santistas.

Jobson segue aguardando. O volante é monitorado pelo Departamento de Análise do Santos desde o início do Paulistão e já deixou clara sua vontade de se transferir para o Peixe e ser comandado pelo técnico argentino Jorge Sampaoli. O jogador vem para ser reserva imediato do volante Alison, já que Yuri nunca conseguiu repetir o bom futebol do Audax no Santos.