Topo

Palmeiras: Hyoran explica por que topa ser o guri, mas não o talismã

Hyoran comemora gol do Palmeiras contra o Junior de Barranquilla - Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Hyoran comemora gol do Palmeiras contra o Junior de Barranquilla Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Do UOL, em São Paulo

17/04/2019 14h49

Mesmo sem tanto espaço para entrar em campo, Hyoran tem tido um papel importante no Palmeiras. Usado como exemplo pela paciência por uma chance, o meia-atacante é chamado por todos de guri por conta das brincadeiras constantes de Luiz Felipe Scolari.

Na coletiva após a vitória contra o Junior Barranquilla, inclusive, o treinador revelou as brincadeiras com o atleta de 25 anos. Hoje, foi a vez do próprio explicar.

"Eu sou querido por todos e isso me deixa muito feliz. Todo mundo sabe que eu me dedico. O Felipão me chama muito de guri e aí fica o rótulo de o guri do grupo. Ele fala bastante disso. Então todo mundo fica brincando e fazendo piada nesse sentido. 'Ô guri, ô guri'. É uma brincadeira legal e sadia", afirmou.

Apesar de ter entrado em campo por apenas 32 minutos em 2019, Hyoran tem uma estatística que joga muito a seu favor. Ele nunca perdeu uma partida de Libertadores pelo Alviverde e está há 29 jogos sem ser derrotado quando entra em campo.

Os números seriam perfeitos para que o jogador fosse considerado o talismã de Felipão e companhia. Na coletiva de hoje, no entanto, ele fez questão de afastar essa chance. A última derrota de Hyoran no gramado foi em maio do ano passado, diante do Cruzeiro.

"É um dado legal de eu não perco há 29 jogos, mas nunca teve o rótulo de talismã. E nem quero que tenha. Quando o time ganha é fruto do trabalho de todo mundo, de uma conquista em grupo, não só do Hyoran", afirmou, para depois continuar com bom humor.

"Mas se vocês quiserem mostrar para o Felipão quem sabe ele me coloca mais vezes em campo (risos)".

Por fim, Hyoran revelou que conversou com a comissão técnica quando soube que não seria aproveitado no Estadual. Ele gostaria de saber se seria utilizado ou se poderia buscar outro clube. Felipão pediu para que ele ficasse. Agora, o meia espera mais chances com o rodízio constante no Brasileirão.