Topo

Futebol


Filho de CR7 brilha em torneio: 19 gols, proteção da avó e música dos fãs

Reprodução
Imagem: Reprodução

Marcus Alves

Colaboração para o UOL, de Lisboa (POR)

18/04/2019 04h00

Poucas horas depois de ver o filho Cristiano Ronaldo dar adeus à Liga dos Campeões em derrota da Juventus para o Ajax, Dolores Aveiro acordou na manhã da última quarta-feira para levar o filho do craque, Cristianinho, como é carinhosamente chamado, para um torneio de categorias de base que acontece próximo de sua casa, em Funchal, na Ilha da Madeira. A competição é organizada por um dos clubes locais, o tradicional Marítimo.

VEJA TAMBÉM:

Sempre simpática, Dolores respondia a perguntas em sua chegada quando foi, então, indagada por um dos jornalistas se Cristianinho estava em melhor forma do que o próprio Cristiano. Ela esboçou um sorriso antes de responder.

"Não tem comparação, porque o nível de competição do pai é mais duro", emendou. "Eles (Juventus) não tiveram sorte e, pronto, quem ganhou merece a vitória. Vamos ver agora o filho", acrescentou.

Cinco vezes melhor do mundo, Cristiano se encontra no auge da forma física aos 34 anos. O filho mais velho, Cristianinho, por outro lado, ainda dá seus primeiros passos de forma despretensiosa, como teria de ser em se tratando de uma criança de apenas oito anos. O burburinho todo ao redor da promessa passa, na verdade, por sua participação com a Juventus no Torneio Internacional Marítimo Centenário, que está sendo disputado até o próximo sábado.

Atuando na equipe sub-9, Cristiano Ronaldo Júnior balançou as redes 19 vezes nos cinco primeiros jogos. É disparado o goleador de sua categoria, com dez a mais que o colega da Juve, Danny Sassoli, o vice-artilheiro.

No primeiro dia, a nova aposta da família Aveiro fez cinco gols contra o Camacha e sete no Marítimo China. No segundo, marcou mais cinco frente o Juventude de Gaula e passou em branco diante do Barreirense. E, por fim, no terceiro, acrescentou outros dois à conta contra o CSM Amir.

Não é exagero dizer que a sua presença tem roubado a cena em meio a garotos do Atlético de Madri, Porto, Sporting, Sunderland e até do Friburguense, do Brasil.

Na abertura da competição, no domingo passado, ao se dirigir para as arquibancadas com o restante da delegação italiana para acompanhar o confronto entre Marítimo e Feirense, pela Liga Portuguesa, ninguém queria saber dos jogadores profissionais. Os mais empolgados até cantaram uma música para o filho de Cristiano Ronaldo (veja em vídeo abaixo).

"Cristianinho, la, la, la, Cristianinho...", entoaram, entre risos.

Entre seus organizadores, o campeonato conta com o diretor da base do Marítimo, Nuno Naré, que trabalhou por mais de uma década no Sporting e coincidiu com Ronaldo. Em Lisboa, ele foi o responsável por sua educação durante quatro anos e cuidava também do alojamento no estádio Alvalade para jovens jogadores que vinham de outras cidades.

Entre eles, claro, o próprio CR7, que, com a distância para a sua casa na Madeira, costumava passar todos os fins de semana por ali, enquanto que a maioria dos colegas viajava.

Depois de testemunhar o nascimento do fenômeno português, Naré agora vê também os primeiros movimentos do filho da estrela da Juventus.

"Esse é um torneio com equipes de diversos países, incluindo clubes de Brasil, África do Sul, Inglaterra e Espanha, algo muito grande. É claro que ter a Juventus, da Itália, com o filho do Cristiano Ronaldo acaba por abrilhantar um pouco mais. Não vamos esconder isso", afirmou.

Ao todo, são mais de cinco mil garotos das mais variadas idades.

A avó de Cristianinho, Dolores Aveiro, não perde o neto da vista em nenhum momento e fica atenta para afastar um assédio maior sobre ele. Ela é a principal encarregada pela criação do pequeno atacante, que foi concebido através do método de barriga de aluguel e não conhece a sua mãe.

"O Cristianinho às vezes pergunta pela mãe, sim, já perguntou. Uma vez lhe dissemos que ela estava no céu, mas o meu irmão e a minha mãe não gostaram e nos pediram que não repetíssemos isso", revelou uma das irmãs de Ronaldo, Elma Aveiro, em entrevista à imprensa portuguesa. "Agora quando ele pergunta, dizemos que a mãe foi passear e viajar", completou.

Alheio a isso, como não poderia deixar de ser em sua idade, o pequeno Cristiano Ronaldo quer saber apenas de se divertir carregando a sua camisa 7 e aproveitando o dom aparentemente herdado do pai.

Mais Futebol