Topo

Santos

Após calendário atrapalhar, Peres ainda quer novo amistoso contra Monterrey

Divulgação/Twitter/Rayados
Rodrygo (dir.), do Santos, disputa a bola com jogador do Monterrey durante amistoso Imagem: Divulgação/Twitter/Rayados

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

2019-04-19T04:00:00

19/04/2019 04h00

O presidente José Carlos Peres havia prometido um novo amistoso do Santos contra o Monterrey, do México, para o dia 26 de janeiro, mas o jogo não aconteceu. A partida seria realizada na Vila Belmiro, como homenagem ao aniversário da cidade, mas o calendário impossibilitou a vinda dos mexicanos.

O Peixe viajou ao México com "tudo" pago pelo Monterrey para um amistoso de apresentação do elenco para a nova temporada em julho do ano passado. Ficou acertado, por meio de uma carta de intenção, que os mexicanos retribuiriam o jogo amigável no Brasil no ano seguinte, mas segundo o mandatário santista, o problema foi o calendário.

"Graças ao nosso calendário diferente do calendário de todos os países do mundo, exceto Paraguai, não conciliamos datas.
Mas certamente este amistoso vai acontecer quando coincidir um espaço para ambas as equipes", prometeu o presidente.

O relatório do Conselho Fiscal divulgado na última semana mostrou que o Monterrey pagou as despesas para uma delegação de 42 pessoas, mas o Peixe levou três pessoas a mais e acabou gastando mais de R$ 31 mil.

Dias depois o Santos enfrentou o Querétaro e recebeu 100 mil dólares, quase 400 mil reais, pelo confronto, mas até hoje 25 mil dólares ainda não caíram nos cofres do clube.

Na ocasião os cartolas santistas aproveitaram a viagem para negociar a contratação do meia uruguaio Carlos Sánchez, que pertencia justamente ao Monterrey e estava a seis meses do final do contrato. O Peixe pagou cerca de 1 milhão de dólares, quase 4 milhões de reais, pela liberação imediata do jogador que foi anunciado em julho.