Topo

Futebol


Atlético se apega ao Horto em reencontro e Cruzeiro mira 1ª taça no estádio

Bruno Cantini/Atlético-MG
Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-04-20T04:00:00

20/04/2019 04h00

Atlético-MG e Cruzeiro decidem hoje o último capítulo do Campeonato Mineiro de 2019. Às 16h30, as equipes se enfrentam no Independência e duelam pela taça do estadual. De um lado, o Galo volta a jogar no Horto e se apega à força da torcida para transformá-lo em um caldeirão e ajudar a equipe contra o rival invicto. De outro, o sólido Cruzeiro busca concretizar a temporada quase impecável até aqui para sacramentar o primeiro título na "casa" do rival.

Galo se agarra à força do Horto

Depois que se enfrentaram no Mineirão, no domingo passado, as duas equipes tiveram uma semana inteira para trabalhar. No Atlético, a tarefa de Rodrigo Santana foi muito mais complicada. Depois de ver o time perder por 2 a 1 no primeiro jogo, o técnico interino precisou quebrar a cabeça para tornar o time mais ofensivo diante do Cruzeiro e criar condições de buscar o 45º título mineiro. A necessidade de atacar será obrigatória, já que somente a vitória interessa ao alvinegro. Ao mesmo tempo, todo cuidado é pouco para evitar o setor ofensivo feroz do rival.

"A gente sabe que o Cruzeiro também sabe fazer um jogo reativo, a gente viu isso na Copa do Brasil. A maioria das vitórias foi fora de casa. O Mano sabe jogar muito bem (assim). A gente não pode ter euforia. A gente sabe que estamos enfrentando um adversário duríssimo, que sabe contra-atacar muito bem, tem jogadores experientes. A gente não pode desorganizar, entrar nessa pressa de querer sair fazendo gol. Não adianta fazer o segundo gol antes do primeiro. Temos que ter muita cautela, equilíbrio, para atacar no momento certo e, se o Cruzeiro contra-atacar, a gente estar preparado para atacar marcando", comentou Rodrigo.

Este será o retorno do Atlético ao Independência após mais de um mês. No início de março, a diretoria confirmou que voltaria a mandar seus jogos no Mineirão. Desde então, os cinco jogos seguintes como mandante foram na Pampulha. Porém, assim como foi feito em outras ocasiões, a opção pelo Horto nesta final foi tomada para tentar encarar o Cruzeiro um campo onde ele se sente menos confortável, com a presença da torcida alvinegra mais próxima, além de ser o local onde o Galo venceu a maioria dos clássicos.

"A gente tem um pouco mais de confiança, porque vamos estar do lado do torcedor. A massa vai empurrar, isso motiva bastante. Mas dentro dos 90 minutos a gente tem que estar muito consciente do que temos que fazer, dos riscos que podemos correr. De forma nenhuma a gente pode sair atrás do placar. A gente tem que ter esse equilíbrio, temos que propor mais o jogo, ter mais a posse da bola, mas sem se expor. E no último terço temos que ser mais agressivos", acrescentou Rodrigo.

Cascudo, Cruzeiro quer levantar primeira taça no estádio

Em 17 partidas realizadas com mando do Atlético no Independência desde que o estádio foi reinaugurado, em 2012, o Cruzeiro saiu com a vitória em apenas quatro vezes, empatando outros três jogos, placar que também garante o título nesta tarde. Apesar do retrospecto ruim, o clube celeste tem outro histórico muito a favor: presente em muitas decisões recentes pela Libertadores ou Copa do Brasil, o time está cada vez mais cascudo nos duelos de mata-mata, não só em casa, mas principalmente quando joga fora dos seus domínios.

"Somos experientes para jogar em qualquer lugar. Estamos mostrando isso há quase três anos, que é o período que estou aqui à frente da equipe. Já conquistamos títulos fora de nossos domínios e essa será mais uma oportunidade que teremos de mostrar a capacidade que nosso grupo tem", comentou o técnico Mano Menezes.

Se conseguir pelo menos o empate para sagrar-se campeão pela 40ª vez, esta será a primeira vez que o Cruzeiro levantará uma taça dentro do Independência. Acostumado a jogar sempre no Mineirão, o time só decidiu o estadual quatro vezes no Horto. Em 1954, foi vice para o Atlético. Dois anos depois, voltou a cair para o rival, mas recorreu na justiça e também foi considerado campeão três anos mais tarde. Em 1962, a Raposa também foi derrotada para o rival, situação que se repetiu pela última vez em 2017, já com Mano Menezes no comando da equipe.

ATLÉTICO-MG x CRUZEIRO

Motivo: jogo da volta, final do Mineiro 2019
Data/Hora: 20/04/2019, às 16h30 (de Brasília)
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Elio Nepomuceno Júnior
Árbitro de Vídeo: Leandro Pedro Vuaden

ATLÉTICO-MG: Victor, Guga, Réver (Leonardo Silva), Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison, Elias; Vinícius (Cazares), Luan, Chará (Maicon Bolt ou Geuvânio); Ricardo Oliveira. Técnico: Rodrigo Santana (interino).

CRUZEIRO: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Lucas Romero; Robinho, Rodriguinho e Marquinhos Gabriel; Fred. Técnico: Mano Menezes.

Mais Futebol