Topo

São Paulo

Raí lamenta e desconversa sobre falta de reposição para Pablo e Liziero

Siga o UOL Esporte no

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

2019-04-21T19:49:35

21/04/2019 19h49

O São Paulo contratou Alexandre Pato e Tchê Tchê para a sequência da temporada, mas os dois não puderam jogar no Campeonato Paulista como substitutos de Pablo e Liziero, lesionados e desfalques na reta final do torneio. Após a derrota por 2 a 1 para o Corinthians, Raí foi questionado sobre o fato de não ter procurado reforços para estas funções (ataque e segundo volante) mais cedo, quando ainda poderia inscrevê-los na competição.

"Nós tivemos muitas contusões de jogadores-chave, e isso acabou atrapalhando. O Pablo, o Gonzalo Carneiro, e outros jogadores que poderiam ter sido opções. Temos de pensar para frente. Com certeza, vamos começar o Brasileiro pensando em grandes objetivos", afirmou na zona mista.

O diretor de futebol tricolor responsabilizou as lesões e não mencionou as saídas de Diego Souza, que foi para o Botafogo, Tréllez, que seguiu para o Internacional, e Gabriel Novaes, artilheiro da Copinha emprestado ao Barcelona B. Qualquer um dos três poderia ter jogado no lugar de Pablo hoje (21), mas a vaga ficou com Everton Felipe mais uma vez. No segundo tempo, coube a Hernanes fazer a função de falso 9.

O meio-campista explicou o que a comissão técnica pretendia com a estratégia. "Essa foi a tentativa para fazer com que a nossa equipe saísse um pouco mais e controlasse mais o jogo, porque o Corinthians estava dominando a fase defensiva. Tentei segurar um pouco a bola. O Corinthians foi melhor no segundo tempo e conseguiu o gol", lamentou Hernanes.

Além de não ter procurado um centroavante reserva, o São Paulo também não foi ao mercado por um segundo volante antes de Tchê Tchê. Liziero é uma das referências táticas do time, mas foi desfalque em dez partidas por causa de dores no púbis e entorse no tornozelo direito. Sem esta peça, Raí lamentou pelo resultado.

"Nos detalhes, acabou se definindo a partida. Esse foi um jogo de poucas chances, menos aberto do que o primeiro. Nervoso como qualquer final. O que a gente pode dizer para o torcedor do São Paulo é que a gente está triste, tão triste quanto eles, e vai continuar trabalhando. Tem muita coisa que a gente pode ver que evoluiu, que dá para evoluir. Tem muita coisa pela frente neste ano", disse o dirigente e ídolo tricolor.