Topo

Santos

Bryan Ruiz completa 5 meses sem atuar pelo Santos. O que o meia tem feito?

Ivan Storti/Santos FC
Bryan Ruiz em treinamento do Santos no CT Rei Pelé Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

2019-04-22T04:00:00

22/04/2019 04h00

O dia era 12 de novembro de 2018. Bryan Ruiz entrava em campo como titular do Santos para enfrentar a Chapecoense, no Pacaembu, em partida que terminaria em derrota santista por 1 a 0, com o meia substituído no intervalo. Aquele foi o último jogo do costarriquenho com a camisa do Peixe, mais de cinco meses atrás.

De lá pra cá, o meia que tem um dos maiores salários do elenco santista sumiu. No início da temporada ele não aguentou o ritmo intenso de treinos do técnico argentino Jorge Sampaoli e, com dores, pediu para ser negociado.

Com um dos salários mais altos do elenco, o meia entrou em acordo com o Santos para procurar outro clube, mas nenhuma proposta oficial chegou ao Peixe, somente sondagens de clubes dos Estados Unidos.

Desde então, Bryan Ruiz começou a treinar com os sparrings, jogadores das categorias de base escolhidos por Sampaoli para treinarem junto com o time profissional, e depois o costarriquenho passou a participar das atividades das equipes sub-20 e sub-17, a exemplo de outros atletas encostados como o zagueiro Cléber Reis e o volante Guilherme Nunes.

Mesmo sem atuar Bryan Ruiz segue sendo convocado para a seleção da Costa Rica, onde veste a camisa 10. No dia 10 de março, quatro dias antes do anúncio oficial dos 23 convocados, viajou ao país para iniciar os treinamentos com a seleção que enfrentaria a Guatemala e a Jamaica. O meia foi reserva da equipe nacional na derrota por 1 a 0 diante da Guatemala e titular na vitória pelo mesmo placar sobre a Jamaica.

Em suas redes sociais, Ruiz não posta nenhuma foto com a camisa do Santos desde o dia 21 de janeiro, quando os reservas do Peixe fizeram um jogo-treino contra a Portuguesa Santista e venceram por 2 a 0, com gols do próprio Bryan Ruiz e do jovem volante Victor Yan.

Com a camisa do Santos, o costarriquenho soma 14 jogos disputados, nenhum gol e duas assistências. O desempenho é melhor do que o início do peruano Christian Cueva, por exemplo, que em 10 jogos não fez gol nem deu assistências além de ser expulso no final da partida diante do Atlético-GO.