Topo

Palmeiras abre semana que intensifica rodízio e define titulares e reservas

Felipão vai definir de forma mais clara duas equipes para o restante da temporada - Alan Morici/Agif
Felipão vai definir de forma mais clara duas equipes para o restante da temporada Imagem: Alan Morici/Agif

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

22/04/2019 04h00

A segunda-feira para o Palmeiras abre a semana em que os jogadores poderão ver um rodízio cada vez mais intenso. Com a estreia no Brasileirão marcada para domingo, a previsão da comissão técnica é que aqueles que são titulares e reservas fiquem cada vez mais definidos.

O primeiro desafio está marcado para quinta-feira, diante do Melgar, por mais uma rodada da fase de grupos da Libertadores. Felipão escalará força máxima na competição, que continua sendo a mais importante da temporada.

Depois, contra o Fortaleza, o time sofrerá pelo menos quatro substituições. O calendário não para mais e, logo em seguida, o Alviverde viajará a Maceió para encarar o CSA, às 16h, pela 2ª rodada do Nacional. Três dias depois e o time já estará em campo de novo: desta vez, contra o Internacional, no dia 4 de maio.

Até aqui, os atletas que mais atuaram são Dudu, Bruno Henrique, Felipe Melo e Gustavo Scarpa. Esses quatro devem fazer parte da base do time titular, ao lado de outros nomes como Gustavo Gómez, Luan e Ricardo Goulart.

A posição de camisa 9 sofrerá alterações de acordo com o momento da temporada, mas, por enquanto, tem Deyverson como o dono da posição.

Para o time que será considerado reserva, aliás, essa é uma das posições que serão mais disputadas. Borja e Arthur Cabral brigarão por um espaço. O time B, aliás, servirá de chance para Lucas Lima tentar uma volta por cima e para os atletas pouco usados até aqui mostrarem serviço.

Estão na frente da fila nomes como Zé Rafael, Hyoran, Raphael Veiga e até mesmo Matheus Fernandes, que não disputou um minuto em 2019. Moisés e Jean, que também não atuaram com frequência, devem ser os pontos de experiência para o Nacional.

Felipão ainda tem um grupo de atletas encostados que torcem por uma chance: Fabiano, lateral direito, Alejandro Guerra, meio-campista, e Juninho, zagueiro, são os melhores exemplos disso.