Topo

Athletico

Athletico perdeu na Libertadores por conta da altitude? Jogadores divergem

Miguel Locatelli/Site Oficial
Imagem: Miguel Locatelli/Site Oficial

Do UOL, em Santos (SP)

2019-04-25T16:52:30

25/04/2019 16h52

Antes de se classificar para as oitavas de final da Libertadores por conta do empate entre Boca Juniors e Tolima, o Athletico Paranaense sofreu a sua segunda derrota na fase de grupos ao ser batido por 3 a 2 para o Jorge Wilstermann, na noite de ontem, na Bolívia. O jogo foi disputado em Cochabamba, a 2.560 metros acima do nível do mar, o que, para alguns atletas, fez diferença. O experiente Jonathan, de 33 anos, foi um deles.

"Faltou o ar em certos momentos, na hora de dar um pique. No início do jogo isso ficou mais claro. Na segunda bola deles a gente estava sempre atrasado. Isso em função da altitude. Depois a gente conseguiu recuperar essa questão da segunda bola", disse o lateral.

"Não tenho dúvida nenhuma de que o resultado que tivemos aqui foi em função da altitude. Muitos jogadores não tinham jogado na altitude, foi a primeira vez. Temos que nos adaptar a isso, pois a Libertadores tem vários times que jogam na altitude", acrescentou Jonathan.

Em contrapartida, Renan Lodi, também lateral, mas esquerdo, viu a questão de forma diferente. Segundo ele, a altitude não interferiu no resultado da partida.

"Já tínhamos conversado na preleção sobre a altitude. A gente não sentiu isso não. A gente impôs nosso ritmo no jogo. Tivemos as melhores chances do jogo. Foi um detalhe ali no final. A bola bateu no braço do Paulo André. Mas é ter cabeça erguida e bola pra frente. Temos mais um jogo e vamos deixar tudo para a última rodada. Jogamos bem, foi um detalhe no final. A gente fica triste, mas bola para frente", declarou o jovem de apenas 21 anos.

O Athletico volta a campo pela Libertadores no dia 9 de maio, uma quinta-feira, quando visita o Boca Junior na La Bombonera. O jogo define quem fica com a primeira colocação do Grupo G.