Topo

Futebol


Por que Flu x Bota é o clássico dos times que "mais gostam" da bola no BR

Mailson Santana/Fluminense
Yony e Gabriel disputam a bola em Fluminense x Botafogo Imagem: Mailson Santana/Fluminense

Alexandre Araújo e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

2019-05-11T04:00:00

11/05/2019 04h00

"Posse de bola" é uma das expressões mais utilizadas pelos técnicos ultimamente. Ao menos neste ponto, os técnicos Fernando Diniz e Eduardo Barroca não têm do que reclamar. O clássico de hoje (11) entre Fluminense e Botafogo, às 16h, no Maracanã, coloca frente a frente os dois times que mais gostam de ter a bola - com mais posse - até este momento nesta edição do Campeonato Brasileiro.

O time tricolor, comandado por Diniz desde o início da temporada e mandante na partida de hoje, é o segundo time que mais teve a bola na competição, com uma média de 56%, enquanto a equipe alvinegra, treinada por Eduardo Barroca desde o meio do mês passado, lidera com uma média de 58%. Com 50%, o Corinthians é o terceiro deste ranking, de acordo com números do Footstats.

A análise dos dados também aponta uma outra semelhança. Os jogadores com mais posse nos respectivos times integram o sistema defensivo. O zagueiro alvinegro Gabriel lidera esse quesito em toda a competição, enquanto Caio Henrique, que vem atuando como lateral-esquerdo no Fluminense, é o terceiro desta lista.

Ainda em janeiro, pouco após chegar às Laranjeiras, depois de uma goleada sobre o Americano, no Campeonato Carioca, Diniz falou sobre o estilo e já vislumbrava uma melhora do grupo em relação ao que pensava.

"A construção curta é uma característica dos times que trabalho. Estamos fazendo isso aqui, apesar do pouco tempo. Não ficamos correndo riscos desnecessários, o Rodolfo chutou muitas bolas para frente, assim como Matheus Ferraz. É uma questão de adaptação, vão se sentir mais confortáveis com o tempo. Sair com passes curtos facilita na construção do gol", apontou.

Para Eduardo Barroca, o resultado neste início de trabalho tem sido satisfatório por conta do que os jogadores vêm assimilando. Além disso, o treinador entende que ainda se deve ter uma evolução para se ter mais o controle do jogo e conseguir tomar as rédeas da partida. Ele, no entanto, minimizou a importância desta arma.

"Eu entendo que tentar ter o controle do jogo é uma ferramenta para ter mais chances para sua equipe e menos para o rival. Eu não entendo que a posse da bola tem uma importância tão grande como as pessoas falam, é apenas uma ferramenta dentro do jogo", afirmou ele.

Nas redes sociais, contato direto dos clubes com os torcedores, também há o enaltecimento em relação ao trabalho, seja mostrando um gol ou uma parte dos treinamentos. Tricolores e alvinegros exaltam o estilo de jogo de seus times. Em tempos de "dar a bola" ao adversário, Flu e Bota prometem travar uma disputa para ver quem consegue ficar mais com ela.

Top 10 da posse de bola no Brasileiro

1º - Botafogo - 58%

2º - Fluminense - 56%

3º - Corinthians - 55%

4º - Internacional - 55%

5º - Grêmio - 55%

6º - Atlético-MG - 54%

7º - São Paulo - 51%

8º - Santos - 51%

9º - Flamengo - 50%

10º - Athletico - 49%

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE x BOTAFOGO

Data: 11/05/2019
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (PB)
Auxiliares: Anderson José de Moraes (SP) Coelho e Bruno Salgado Rizo (SP)

FLUMINENSE
Rodolfo; Gilberto, Matheus Ferraz, Nino e Caio Henrique (Marlon); Yuri (Caio Henrique) Allan e Ganso (Guilherme); Luciano, Yony González e Pedro. Técnico: Fernando Diniz

BOTAFOGO
Gatito Fernández, Fernando, Gabriel, Carli e Jonathan (Gilson); Gustavo Bochecha; Erik, Cícero, Alex Santana (João Paulo) e Rodrigo Pimpão; Diego Souza. Técnico: Eduardo Barroca

Mais Futebol