Topo

Internacional

Com craque do Barça, Nacional já encarou Inter nas oitavas da Libertadores

Xinhua/Martin Rickett/PA Wire/ZUMAPRESS
Luis Suárez, atacante do Barcelona, jogou contra o Inter na Libertadores de 2006 Imagem: Xinhua/Martin Rickett/PA Wire/ZUMAPRESS

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

2019-05-14T17:05:37

14/05/2019 17h05

Encarar o Nacional, do Uruguai, nas oitavas de final da Libertadores não é novidade para o Inter. O duelo sorteado ontem na sede da Conmebol, no Paraguai, revive o encontro ocorrido em 2006. Na ocasião, mesmo eliminados, os uruguaios contavam com um reforço de peso: Luis Suárez.

O atacante do Barcelona tinha apenas 19 anos e sequer era titular do time com frequência. Vivia sua segunda temporada na equipe principal e alternava posto com Andrés Marquez, Gonzalo Castro e Carlos Juarez.

As estrelas daquela equipe eram mais experientes. O meio-campista Vanzini, capitão do time, e o zagueiro Victorino, que mais tarde passaria por Cruzeiro e Palmeiras, carregavam as esperanças do grupo treinado por Martín Lasarte.

Ainda bem distante da parceria com Messi, do trio MSN completo por Neymar, da Liga dos Campeões, da Copa do Mundo pela seleção e dos títulos na Europa, Suárez seria vendido por 800 mil euros (R$ 3,5 milhões na cotação atual) para o pequeno Groningem, da Holanda, depois daquela competição.

Ao todo, "El Pistolero" teve 34 partidas e 12 gols marcados pelo time de seu país.

Inter e Nacional se enfrentaram quatro vezes. No mesmo grupo, os dois duelos da chave acabaram com superioridade brasileira. Vitória por 3 a 0 em Porto Alegre e empate em 0 a 0 no Parque Central.

Pelo chaveamento da competição, os dois voltaram a se enfrentar na fase que se repetirá nos dias 24 e 31 de julho deste ano. E pelas oitavas, o Colorado venceu por 2 a 1 na capital uruguaia e segurou empate em 0 a 0 em casa.

Suárez jogou apenas dois dos quatro confrontos. Entrou no segundo tempo no empate em 0 a 0 no Parque Central, na fase de grupos, e começou jogando, mas acabou substituído, no novo empate em 0 a 0 do Beira-Rio pelas oitavas de final.

O Colorado eliminou o Nacional, depois a LDU, do Equador, o Libertad, do Paraguai, e ergueu a taça da competição de clubes mais importante do continente pela primeira vez em sua história naquele ano ao bater o São Paulo na final.