Topo

Santos

Santos vê empate "bom", mas risco de perder meio time para a volta preocupa

Thomas Santos/AGIF
Imagem: Thomas Santos/AGIF

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

2019-05-16T04:00:00

16/05/2019 04h00

O Santos avalia que saiu de Minas Gerais com um bom resultado: o empate por 0 a 0 com o Atlético-MG atuando dentro da Arena Independência, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O Peixe precisa de uma vitória simples dentro de casa para avançar na competição.

Depois de um primeiro tempo bom e uma segunda etapa na qual viu o adversário crescer, o auxiliar técnico Jorge Desio, que substituiu o suspenso Jorge Sampaoli, classificou o empate como justo e não lamentou o resultado.

"Resultado não é ruim, tendo em conta a qualidade do mandante e os jogadores da equipe contrária. Não é um resultado para lamentar. Tentamos a vitória, como sempre, mas por ser visitante, não é algo ruim e me parece justo o resultado", disse Desio em coletiva de imprensa.

No entanto, o time que enfrentou o Galo ontem pode ser muito diferente da equipe que terá a missão de bater os mineiros no dia 6 de junho, data da partida de volta. Isso porque quatro estrangeiros já apareceram na pré-convocação de suas seleções para a Copa América: Aguilar, Cueva, Derlis González e Soteldo.

Além deles, o meia Carlos Sánchez também tem chances de ser chamado pelo Uruguai e o atacante Rodrygo já foi convocado pela Seleção Pré-Olímpica, ou seja, os desfalques podem chegar a seis nomes.

O Peixe pediu a liberação do Menino da Vila e está otimista em conseguir, assim como também requisitou que a partida de volta diante do Atlético-MG seja antecipada, mas sabe que é difícil devido ao calendário do Galo, que disputa a Copa Sul-Americana nas duas datas possíveis.

Dos seis jogadores que podem ficar fora do confronto, três foram titulares no jogo de ida (Aguilar, Derlis e Rodrygo) e outros dois entraram no decorrer da partida (Soteldo e Cueva).

Se não puder contar com nenhum deles, o Santos teria apenas Eduardo Sasha como opção recorrente ofensiva, por exemplo. Outros atletas do setor não vêm sendo utilizados: Copete não atua há um mês e meio, Kaio Jorge soma apenas quatro partidas no ano, Yuri Alberto tem três e vem jogando pelo sub-20 e Felippe Cardoso está fora dos planos.