Topo

Seleção Brasileira


Tite vê desmanche de comissão em momento de maior pressão na seleção

Pedro Martins/Mowa Press
Sylvinho, Tite e Edu Gaspar trabalham no comando da seleção brasileira Imagem: Pedro Martins/Mowa Press

Danilo Lavieri, Pedro Lopes e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em São Paulo e no Rio de Janeiro

2019-05-18T04:00:00

18/05/2019 04h00

Tite vive uma fase diferente à frente da seleção brasileira. Depois de perder o status de "salvador da pátria" que recebeu ao assumir o lugar de Dunga, o comandante agora começa a ver seus homens de confiança deixarem a CBF (Confederação Brasileira de Futebol). A movimentação ocorre justo quando o treinador vive a pressão de ser campeão dentro de casa.

Ontem, na convocação para a Copa América, o treinador viu o anúncio que Sylvinho deixará a sua comissão técnica para assumir o comando de Lyon. O auxiliar técnico era um dos homens fortes de Tite e até comandaria a seleção brasileira em caso de vaga nas Olimpíadas de Tóquio, em 2020.

Era Sylvinho um dos membros mais importantes na montagem dos treinos e, não à toa, sua presença nas entrevistas coletivas ao lado do comandante passou a ficar cada vez mais constante.

Depois da Copa América, Tite ainda perderá outro homem forte. Edu Gaspar, coordenador da seleção brasileira, deve anunciar que acertou com o Arsenal para ser diretor da equipe inglesa. A CBF já até emitiu nota para afirmar que, em caso de reposição, o novo escolhido será um ex-jogador de futebol.

A relação de ambos é bastante estreita. Em entrevista à Folha de S. Paulo em 2018, inclusive, Edu chegou a dizer que "às vezes o Tite é chefe", apesar de a hierarquia apontar para o treinador como subordinado.

Também depois da Copa América, a tendência é que o analista de desempenho Fernando Lázaro faça o mesmo caminho de Sylvinho e se transfira para o Lyon.

Sem Sylvinho, Edu Gaspar e Lázaro, Tite ainda conta com outros dois membros bem importantes na sua comissão. Cleber Xavier, que trabalhou com ele no Corinthians, e seu filho, Matheus Bacchi, continuam a serviço da seleção brasileira. Os dois atuavam diretamente com Sylvinho na montagem dos treinos e no estudo dos adversários. Cleber, inclusive, era outro que apareceu ao lado de Tite em algumas coletivas de imprensa.

Mais Seleção Brasileira