Topo

Fluminense

Jovem de 17 anos curte gols e boa fase no Fluminense com vídeo game

Thiago Ribeiro/AGIF
João Pedro, do Fluminense, comemora seu gol durante partida contra o Cruzeiro pelo Campeonato Brasileiro A 2019 Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

2019-05-20T04:00:00

20/05/2019 04h00

Os três gols em dois jogos contra o Cruzeiro indicam que o atacante João Pedro já é um jogador com sua formação concluída, mas o jovem do Fluminense ainda está em plena fase de crescimento.

O garoto foi captado pelo Flu em uma peneira em Ribeirão Preto, sua cidade natal. Aos 11 anos, veio para o Rio de Janeiro e se estabeleceu em Xerém ao lado de Flávia, sua mãe. Muito franzino, só "esticou" aos 16 anos. Aos 17, o camisa 23 tricolor atingiu os 1,82m, mas o departamento científico do clube ainda crê que o atleta bata os 1,87m.

"Pela altura dos pais, a gente sabia que não era necessário um tratamento especial. Ele disparou e ainda vai ficar mais alto. Ele chamou a atenção por fazer gols de todos os jeitos", disse ao UOL Esporte Marcelo Teixeira, diretor esportivo da base do Flu.

Em plena fase de desenvolvimento físico, João Pedro ainda mantém hábitos de um adolescente. O maior deles é o vídeo game, em especial com o jogo Fortnite, game popular de batalhas entre jovens de todo o mundo. Durante os momentos de folga, o jovem dedica horas a fio a esse hobby.

O amadurecimento precoce foi praticamente uma imposição. Ao lado da mãe, deixou Ribeirão Preto de carro em busca do sonho d e jogar em um clube grande. Os bens foram todos vendidos e uma nova vida começou na Baixada Fluminense. Novo xodó tricolor, João Pedro conta com uma base familiar incomum para os padrões do mundo da bola, segundo conta Teixeira:

"A educação que ele tem chama atenção. A mãe não transfere pressão para ele dar certo, ganhar dinheiro. Ela nunca foi desesperada pelo sucesso do filho".

As qualidades técnicas e a luta materna para criar sozinha o atacante chamaram a atenção do Fluminense, que deram um auxílio financeiro um pouco acima do concedido aos jovens da base. A aposta deu retorno e João Pedro explodiu no sub-17. Artilheiro da equipe, foi convocado para a seleção da categoria e recebeu a notícia de que seria incorporado aos profissionais.

O trabalho nas divisões inferiores fez com que os estrangeiros crescessem o olho sobre o atleta. Já vendido ao Watford (ING), ele vai para a Inglaterra em janeiro de 2020, mas o vínculo pode ser ampliado até dezembro deste mesmo ano.

O acordo pode render até 10 milhões de euros (R$ 45,7 milhões) para o Tricolor. O combinado entre as partes prevê alguns gatilhos que incluem bônus financeiros por convocações para seleções de base e gols marcados, por exemplo.

Além disso, o Fluminense terá 10% da mais valia - a diferença entre o pago ao Tricolor e o que será eventualmente recebido pelos ingleses pelo valor da venda do atleta no caso de uma futura negociação feita pelo Watford. O jogador fica nas Laranjeiras até janeiro de 2020, mas o vínculo pode ser ampliado até dezembro deste mesmo ano.