Topo

Atlético-MG

Como Atlético-MG tenta convencer Jesus a trabalhar no Brasil

Alkis Konstantinidis/Reuters
Jorge Jesus foi técnico do Sporting e Benfica no futebol português Imagem: Alkis Konstantinidis/Reuters

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-05-21T04:00:00

21/05/2019 04h00

O Atlético-MG tenta convencer Jorge Jesus a aceitar uma mudança para o Brasil. Os mineiros apostam na boa relação em parceiros envolvidos no negócio e também na estrutura que possuem para atrair o lusitano.

Em sua passagem pelo Brasil, o treinador que fez o seu último trabalho no Al-Hilal, da Arábia Saudita, assistiu ao jogo diante do Flamengo, na Arena Independência, e visitou a Cidade do Galo.

Ele ainda se reuniu com Ricardo Guimarães, ex-presidente atleticano e proprietário do Banco BMG, e o agente Lucca Bertolucci, filho de Giuliano Bertolucci. No encontro, que também contou com a presença de Rui Costa, diretor do Galo, eles falaram sobre uma possível mudança para o Brasil.

Estrutura do Atlético-MG

Nas tratativas, o clube tem alguns aliados. A cúpula alvinegra aproveitou a viagem do português a Belo Horizonte para apresentar a Cidade do Galo ao técnico, onde ele foi durante a tarde de sábado.

A informação sobre a visita ao centro de treinamentos foi inicialmente divulgada pelo blog do jornalista Jorge Nicola e confirmada pelo UOL Esporte.

Jorge Jesus se impressionou com o local. O português gostou da estrutura oferecida pelo clube para as atividades e também do projeto desenvolvido nas divisões de base.

Reputação de Ricardo Guimarães em Portugal

Um importante aliado é a reputação de Ricardo Guimarães em Portugal. Proprietário do Banco BMG, o empresário que até já presidiu o clube mineiro é bastante reconhecido no país europeu. No local, ele se tornou uma figura relevante no meio do futebol ao ajudar financeiramente na construção do museu do Porto.

Em 2016, a instituição financeira desembolsou 8 milhões de euros (R$ 36,6 milhões na cotação atual) para patrocinar o museu do clube. O acordo foi alinhavado até 2025 e deu prestígio à empresa em Portugal.

Hoje, Ricardo Guimarães é parceiro do Atlético. Além de ser responsável pelo patrocínio máster no uniforme do clube, ele auxilia em contratações. O empresário foi quem desembolsou R$ 13 milhões para os mineiros acertarem a mudança de Igor Rabello para a capital mineira.

Relação com Bertolucci

A princípio, Jesus não via com bons olhos uma mudança para o futebol brasileiro. Aconselhado por Pini Zahavi, seu representante desde fevereiro passado, ele crê que voltar a um clube da Europa é a melhor opção para a sua carreira, iniciada em 1989.

A mudança de pensamento em relação à troca do futebol europeu para o brasileiro se deve à presença de Giuliano Bertolucci no negócio. O empresário, que vive entre Brasil e Europa, tem boa relação com o técnico de 64 anos e tenta deixá-lo convencido de que o país é uma boa opção de trabalho atualmente.

Quem participa mais ativamente do negócio é Lucca Bertolucci, filho de Giuliano. O agente também esteve no Independência, no fim de semana. No entanto, no dia seguinte, já retornou a São Paulo. Anteontem, ele esteve no Morumbi para acompanhar o empate sem gols entre São Paulo e Bahia.

O Atlético já havia tentado outros treinadores, mas sem sucesso. Tiago Nunes, do Athletico-PR, era a primeira opção da diretoria. O técnico, no entanto, recusou a oferta apresentada. O mesmo aconteceu com Rogério Ceni, atualmente no Fortaleza. Por fim, a cúpula havia conversado com Juan Carlos Osorio. No entanto, recuou em relação às tratativas após a pedida do comandante.