Topo

Fluminense

Fluminense revê Autuori um ano depois com velhos problemas internos

Divulgação
Paulo Autuori é treinador do Atlético Nacional, da Colômbia Imagem: Divulgação

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

2019-05-23T04:00:00

23/05/2019 04h00

Foram pouco mais de cinco meses como diretor de futebol do Fluminense, tempo curto porém suficiente para que Paulo Autuori pudesse conhecer de perto a fragilidade econômica e a instabilidade política que marcam o clube nos últimos anos.

Quase um ano depois de seu pedido de demissão, o profissional revê o seu ex-clube. Em vez do paletó, Autuori volta ao Maracanã em versão "boleira". De volta ao banco de reservas, ele comanda hoje o Atlético Nacional (COL), às 21h30, no Maracanã, de olho em uma boa largada na segunda fase da Copa Sul-Americana.

A passagem de Autuori pelo Flu foi marcada por uma relação de cumplicidade com funcionários e jogadores, mas de desconfiança com a cúpula de futebol. Os constantes atrasos salariais e a saída do então CEO Marcus Vinicius Freire foram o estopim para o treinador, que deixou as Laranjeiras com um título da Taça Rio na bagagem e uma boa dose de frustração por não ter conseguido reunir melhores condições para tocar o trabalho.

Sua saída desencadeou ainda um outro episódio que estremeceu as Laranjeiras dias depois. Insatisfeito com o acúmulo de problemas e já sem Autuori para filtrar as dificuldades, Abel Braga pediu o boné e ampliou a crise desencadeada pela saída dos do parceiro de dia a dia e também de Marcus Vinicius Freire.

Lucas Merçon/Fluminense
Pedro Abad e Paulo Autuori: parceria durou pouco no Fluminense Imagem: Lucas Merçon/Fluminense

É bem verdade que o Fluminense que Autuori terá pela frente hoje ainda tem sérios problemas para manter as contas em dia e pagar os salários na data certa. Dentro de campo, contudo, ele enfrentará uma equipe mais estruturada e com mais alternativas do que aquela ele deixou para trás. Ainda que haja carências admitidas pela direção, o entendimento é de que o Flu tem um elenco homogêneo e competitivo este ano, visto que o garimpo feito no mercado é considerado dos mais positivos.

Longe de ter o grupo mais badalado do Campeonato Brasileiro, o time comandado por Fernando Diniz tem uma assinatura própria e tem sido abraçado pela torcida, algo que não ocorria com tanta frequência no período no qual o hoje técnico da equipe colombiana esteve no Tricolor.

Se enfrentou um furacão nas Laranjeiras, o clima para o treinador no clube colombiano também não é dos mais amenos. Com o time em momento complicado, Autuori colocou o cargo à disposição para os dirigentes alviverdes, mas foi convencido a continuar com o projeto iniciado em novembro do ano passado.

"O Autuori é um cara que cuida muito do vestiário e protege muito os jogadores. Então pode ter feito a diferença para ele seguir no comando. Acredito que os jogadores do Atlético Nacional devem ter conversado e pedido para ele seguir e por isso a atenção tem que ser bem maior para a partida", disse Ganso, que trabalhou com ele no São Paulo.

Por ironia do destino, a noite de reencontro com o Tricolor também pode representar a do adeus ao clube mais popular da Colômbia. De olho no inédito título da Sul-Americana, o Flu espera causar dor de cabeça em seu ex-diretor. Agora como adversário.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE X ATLÉTICO NACIONAL (COL)

Data: 23/05/2019
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Hora: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Assistentes: Christian Schiemann (CHI) e Claudio Rios (CHI)

FLUMINENSE
Agenor, Gilberto, Matheus Ferraz, Nino e Caio Henrique; Allan, Daniel e Paulo Henrique Ganso; João Pedro (Marcos Paulo), Luciano e Yony González
Técnico: Fernando Diniz

ATLÉTICO NACIONAL
Cuadrado, Palacios, Bocanegra, Hernández e Machado; Gómez e Rovira (Aldo Leao Ramírez); Caicedo (Juan Pablo Ramírez), Ceppelini e Hernández; Hernán Barcos.
Técnico: Paulo Autuori