Topo

Futebol


Médico que fez parto de Davi Lucca aguarda indenização; Neymar diz ter pago

Divulgação/Dr. Herbert Kramer
Dr. Herbert Kramer (d) com sua esposa, ao lado de Neymar no Hospital Imagem: Divulgação/Dr. Herbert Kramer

Bruno Thadeu e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

2019-05-23T17:45:14

23/05/2019 17h45

O médico Herbert Kramer aguarda indenização de Neymar pelo serviço prestado no parto de Davi Lucca, em 2011. Segundo sentença publicada pela Justiça em março deste ano, o atacante foi condenado a pagar ao médico e seus assistentes R$ 46 mil pelo trabalho.

Em abril, a Justiça pediu para que fosse feito um levantamento para checar se Neymar havia feito o pagamento para Kramer. O UOL Esporte teve acesso ao comprovante da operação que indica que o pagamento foi feito por meio de um depósito no valor exato exigido pela decisão judicial logo após a publicação dela.

Segundo a assessoria de imprensa do atleta, "assim que a Justiça fixou os valores o pagamento foi realizado, antes mesmo de ser formulado requerimento pela outra parte."

O UOL Esporte entrou em contato nesta quinta-feira (23) com pessoas ligadas ao médico, que informaram que esse valor depositado por Neymar seria referente aos dois profissionais que trabalharam com Kramer. O valor chegou ao montante de R$ 46 mil devido às correções do período. As mesmas pessoas alegam que ele não recebeu nenhum pagamento.

Entenda o caso

Em dezembro de 2017, o Tribunal de Justiça de São Paulo já havia determinado, em 2ª instância, que Neymar e Carolina Dantas pagassem pelo serviço de Kramer. De acordo com o Tribunal, Neymar e Carolina sabiam que o serviço de parto não estava previsto no plano de saúde.

Davi Lucca nasceu em São Paulo. O plano médico, segundo o processo, atendia a cidades da Baixada Santista, não prevendo serviço em São Paulo. "Os réus [Neymar e Carolina] tinham conhecimento da necessidade de arcar com os honorários do autor [Kramer], já que o procedimento médico se daria fora da rede conveniada, sem contar que o corréu Neymar se comprometeu a arcar com os custos referentes ao nascimento de seu filho", informa no processo o relator Renato Sartorelli.

"A isso acresça-se que o ajuste foi entabulado de forma livre e espontânea, inclusive com a escolha, por parte dos próprios demandados, de hospital fora da rede conveniada (São Luiz da Comarca de São Paulo), devendo os réus, como corolário, arcar com encargos oriundos do procedimento", acrescenta.

Na época, a família de Neymar contestou a cobrança de R$ 45 mil feita pelo médico, considerando exagerada. A família do atacante entendeu que o profissional usou da fama do jogador para pedir valor muito acima do mercado e o caso foi levado à Justiça.

Mais Futebol