Topo

Atlético-MG

Atlético-MG define perfil para técnico e faz plano duradouro para interino

Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Rui Costa, diretor de futebol do Atlético-MG Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-05-24T14:00:59

24/05/2019 14h00

O Atlético-MG mantém cautela em relação à procura por um treinador. Depois das seguidas tentativas - Tiago Nunes, Rogério Ceni, Juan Carlos Osorio e Jorge Jesus estiveram na lista -, o clube agora busca um nome para a vaga de Levir Culpi, demitido no início de abril.

Em entrevista à ESPN Brasil, o diretor de futebol do Galo, Rui Costa, falou sobre o tema. O executivo explicou que busca um nome que se encaixe no perfil traçado pela cúpula.

"Alguns foram especulados, mas nunca falei. Mas houve, sim, uma conversa com o Tiago (Nunes). Houve, sim, uma conversa, uma sondagem com o Rogério Ceni. E cheguei a conversar com o (Jorge) Jesus. Mas digo com muita sinceridade: não é o fato de ser estrangeiro que nos mobiliza. É como ele vê futebol, os conceitos de futebol, como ele trabalha o dia a dia, como ele está integrado com a base. O treinador tem que entender que nós precisamos ter uma verticalidade, entender o futebol profissional como um futebol que está conectado com a base. (Temos que avaliar) se ele tem essa visão ou se ele vai chegar aqui pedindo 25 jogadores", afirmou.

"Todos os treinadores que abordamos, seja com proposta ou sondagem (e inclusive falei com o Osorio também) têm essa característica: treinadores que trabalham de forma intensa, que têm uma visão muito integrada do futebol, com a preparação física, fisiologia... E que trariam para nosso clube um futebol protagonista, que é o que eu acredito que o Atlético mereça, o torcedor merece. É o que a gente quer deixar como legado técnico para o clube. O Rodrigo tem tudo isso. Mas concluindo: tenho a plena convicção que o que nos move não é o fato do treinador não ser brasileiro. Tanto que começamos nosso trabalho (de procura) com treinadores com uma história muito bonita no Brasil. Seja uma história recente, como o Rogério Ceni, ou uma história maior. E depois fomos buscando o mesmo perfil, mas com outra nacionalidade, outra experiência", acrescentou.

Sem acerto com nenhum dos técnicos tentados, o Atlético confia em Rodrigo Santana no trabalho à frente do clube. A ideia é que o técnico interino seja preparado para ter uma longa história na Cidade do Galo.

"O Rodrigo está sendo preparado para ter uma história longa no Atlético. Ele tem todo o reconhecimento como profissional que é, pelo talento que tem. Ele se manifesta sempre no sentido de que está no processo de aprendizagem, de complementação da carreira. Mas a confiança nele é total. O grupo tem muito respeito por ele. Um respeito que foi conquistado no campo, no dia a dia, na coerência que ele tem na escalação da equipe, na relação que ele tem com as pessoas. Estou muito satisfeito. Vamos lutar muito para que essa carreira (do Rodrigo no Atlético) efetivamente seja longa", completou.