Topo

Seleção Brasileira


Richarlison "aprende a chutar" e vira o jogo sobre Jesus e Firmino

Lucas Figueiredo/CBF
Na Granja Comary, Richarlison disputa lance com Gabriel Jesus. Eles podem ser parceiros ou concorrentes Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

2019-05-26T04:00:00

26/05/2019 04h00

Richarlison completou a segunda temporada no futebol europeu prestigiado e como um dos melhores jogadores da seleção brasileira no ciclo pós-Copa do Mundo. Um crescimento que o deixa entre os favoritos para ser titular no time de Tite para a Copa América e que tem uma explicação. Segundo o próprio atacante, o cuidado para melhorar o posicionamento e, principalmente, as finalizações o fez se firmar no Everton e ser o artilheiro brasileiro no Campeonato Inglês.

"A gente tem que estar sempre bem posicionado. Acho que melhorei bastante nisso e nas finalizações, que eu errava muito quando jogava aqui (no Brasil). O Marco Silva (técnico português que dirige o Everton) está me colocando para treinar finalizações e tenho melhorado bastante nisso. E todos viram durante os jogos. Esse ano fiz mais gols com menos finalizações que na temporada passada. Espero fazer gols na seleção também", projetou.

Os números de Richarlison realmente melhoraram. Em sua primeira temporada na Inglaterra, ainda pelo Watford, precisava de 19 chutes para conseguir marcar um gol - foram cinco tentos em 95 finalizações na Premier League. Na edição que terminou neste ano, foram necessários 6,3 chutes para fazer um gol - 83 tentativas para balançar as redes 13 vezes. As estatísticas foram retiradas do site do próprio Campeonato Inglês e mostram uma virada de Richarlison sobre dois de seus concorrentes - ou até parceiros - no ataque da seleção brasileira.

Na temporada 2017/18, Roberto Firmino, do Liverpool, foi o artilheiro brasileiro na competição com 15 tentos e fazia um gol a cada 5,6 finalizações. Já Gabriel Jesus, do Manchester City, tinha o melhor aproveitamento. Finalizava 4,3 vezes para marcar e terminou o torneio com 13 gols. Na última edição da Premier, Firmino fez 12 gols em 75 chutes (média de 6,2) e Jesus fez sete gols em 43 tentativas (média de 6,1, de novo a melhor entre os brasileiros da liga).

O aproveitamento dos brasileiros foi próximo ao do egípcio Mohamed Salah, do Liverpool, que teve média de 6,2 chutes para cada gol e foi artilheiro do Inglês com 22 tentos. Ele dividiu esse posto com o senegalês Sadio Mané, também do Liverpool, que teve média de 3,9 finalizações por gol, e com o gabonês Pierre-Emerick Aubameyang, que teve média de 4,2.

Na seleção brasileira, Richarlison já foi usado como centroavante e aberto pelas duas pontas e divide a artilharia pós-Copa com Neymar e Jesus, com três gols cada. A princípio, imagina-se um ataque titular com Neymar, Firmino como referência e o ex-Fluminense na ponta direita. Se Richarlison ganhar posição como referência, a tendência é que David Neres entre pelo lado direito. O próprio jogador do Ajax sugeriu essa formação a Tite, já que é o único canhoto entre os seis atacantes convocados para a Copa América - Everton, do Grêmio, completa a lista.

Mais Seleção Brasileira