Topo

Flu leva susto com Barcos, mas avança na Sul-Americana mesmo com derrota

João Pedro, durante partida entre Fluminense e Atlético Nacional - JOAQUIN SARMIENTO / AFP
João Pedro, durante partida entre Fluminense e Atlético Nacional Imagem: JOAQUIN SARMIENTO / AFP

Do UOL, no Rio de Janeiro

29/05/2019 23h24

O Fluminense foi derrotado por 1 a 0 pelo Atlético Nacional (COL) hoje, com gol de Barcos, mas o resultado no Estádio Atanasio Girardot, em Medellin, foi suficiente para garantir aos cariocas uma vaga nas oitavas de final da Copa Sul-Americana, já que a equipe havia vencido o jogo de ida por 4 a 1. O uruguaio Peñarol será o adversário do Tricolor da próxima fase.

A equipe do Rio não cumpriu uma boa atuação e nem de longe lembrou os melhores dias do time sob o comando de Fernando Diniz. Sem inspiração, o time pouco criou na Colômbia, mas conseguiu defender a vantagem construída no Maracanã.

O time dá um tempo no torneio continental e volta as suas atenções para o Brasileiro. No domingo, a equipe visita o Athlético, às 16h, na Arena da Baixada.

Quem brilhou: Barcos atormenta a zaga

https://esporte.uol.com.br/futebol/times/atletico-mg/
Imagem: https://esporte.uol.com.br/futebol/times/atletico-mg/

O veterano atacante foi um pesadelo para o sistema defensivo tricolor na noite de hoje. Além de marcar logo aos 3 minutos de jogo, o centroavante acertou a trave de Agenor e abriu espaços para seus companheiros de ataque.

Quem foi mal: Ganso sem inspiração

O camisa 10 tricolor foi incapaz de dar ritmo ao Flu, que teve muita dificuldade para fazer a ligação do meio com o ataque. Com muitos passes laterais e pouca objetividade, o jogador conseguiu esfriar o ímpeto adversário na hora de maior pressão, mas não foi bem na criação.

Em casa! Yony González volta a Medellín

REUTERS/Luisa Gonzalez
Imagem: REUTERS/Luisa Gonzalez

Assim como todo o time, o atacante colombiano não teve uma boa noite. Natural de Medellin, Yony não foi municiado e não apareceu como em outras ocasiões. Se não brilhou, ao menos garantiu em casa a vaga às oitavas.

Fluminense em dia ruim

O sistema defensivo do Flu deu espaços, o meio de campo não criou, e os atacantes pouco participaram. Diante deste cenário, o Fluminense foi uma equipe pouco objetiva e que se contentou com o resultado desfavorável que lhe garantia a vaga. Salvo em um ou outro lampejo, o time foi lento e previsível, dando campo a um adversário que demonstrou limitações.

Que isso, Luciano?!

Logo após o gol que abriu o placar no Atanasio Girardot, o Flu desperdiçou uma chance de ouro para empatar. O goleiro Cuadrado rebateu chute de João Pedro, mas o atacante do Flu pegou errado na bola e perdeu.

Cadê o VAR?

Matheus Ferraz se antecipou em cruzamento e bateu para defesa dificílima de Cuadrado. Os jogadores do Fluminense viram a bola dentro e pediram desesperadamente que o gol fosse validado, mas o árbitro Patricio Loustau manteve a decisão. Essa fase da Sul-Americana não conta com árbitro de vídeo.

Cronologia

O Atlético Nacional começou a todo vapor. Em cabeçada de Barcos, a equipe da casa abriu a contagem logo aos três minutos de jogo. Apesar do início fulminante, o placar não foi mais movimentado até o fim da partida.

Camaradagem

Antes de a bola rolar, os dirigentes do time da casa entregaram aos visitantes uma placa com desejo de boas vindas ao Flu, que retribuiu o gesto com uma postagem em suas redes sociais.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO NACIONAL X FLUMINENSE

Data: 29/05/2016
Local: Atanasio Girardot, em Medellin (COL)
Hora: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Patricio Loustau (ARG)
Assistentes: Ezequiel Brailovsky (ARG)e Cristian Navarro (ARG)
Cartões amarelos: Caicedo (ATL), Luciano, Igor Julião (FLU)
Cartões vermelhos: -
Gols:
Barcos, aos 3 minutos do primeiro tempo

Atlético Nacional
Cuadrado; Palacios, Bocanegra, Moya e Mafla; Gómez (Ramírez), Rovira e Ceppelini (Machado); Caicedo (Palacios), Barcos e Vladimir Hernández.
Técnico: Alejandro Restrepo.

Fluminense
Agenor; Gilberto, Nino, Matheus Ferraz e Caio Henrique; Allan, Daniel (Airton) e Ganso (Caio); Yony González, Luciano (Igor Julião) e João Pedro.
Técnico: Fernando Diniz.