Topo

Luiz Fernando reaparece e faz briga por vaga no ataque do Botafogo aumentar

Luiz Fernando marcou para o Botafogo contra o Sol de América pela Copa Sul-Americana - Thiago Ribeiro/AGIF
Luiz Fernando marcou para o Botafogo contra o Sol de América pela Copa Sul-Americana Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

30/05/2019 04h00

Goleada e classificação às oitavas de final da Sul-Americana, mas a vitória sobre o Sol de América, na noite de ontem (29), no Nilton Santos pode representar ainda mais para um jogador: Luiz Fernando. O atacante teve boa atuação, reencontrou as redes e, não à toa, se emocionou. Afinal, atravessou uma crise, viu as oportunidades serem cada vez menores e o espaço no elenco se esvair. Agora, mostrou ao técnico Eduardo Barroca que pode ser boa opção e acirra a briga por vaga no time titular.

Depois de um 2018 de destaque, Luiz Fernando começou a atual temporada balançando a rede. Foi o autor do único gol alvinegro na derrota por 3 a 1 para a Cabofriense, na estreia no Campeonato Carioca. De lá para cá, porém, ainda sob o comando do técnico Zé Ricardo, caiu de rendimento e perdeu posição. Com Barroca, ele voltou a ser titular nas duas últimas partidas, contra Palmeiras, pelo Brasileiro, e Sol de América.

"Fiquei emocionado com o gol porque eu não vinha conseguindo render, estava sendo muito cobrado. Fiquei triste com a situação, de não conseguir ajudar o Botafogo. Eu me cobro muito. Cada dia procuro melhorar, estava precisando desse gol para retomar cada vez mais a confiança", disse.

O atacante aproveitou para agradecer a Barroca, que assumiu o comando do time pouco antes da estreia no Campeonato Brasileiro.

"Ano passado, fiz bons jogos, pude ajudar. No começo de 2019, não rendi o esperado. Todos esperavam mais de mim. Agradeço pela oportunidade e a confiança do Barroca para voltar a ser o Luiz Fernando do ano passado. Quero ajudar o Botafogo a chegar o mais longe possível", garantiu.

Luiz Fernando chegou a General Severiano no começo do ano passado, após chamar atenção com a camisa do Atlético-GO. Na última temporada, foram sete gols em 54 partidas disputadas.

"Nem eu sei explicar a queda de produção. Não esperava. Nesses dias ruins, minha família me ajudou muito a seguir trabalhando. Estou reconquistando a confiança, voltando a jogar meu futebol ", finalizou.