Topo

Seleção Brasileira


Vice da CBF aposta que Neymar pede dispensa da seleção: "tem novo vídeo"

Do UOL, em Brasília

04/06/2019 20h04

Francisco Noveletto, vice-presidente da CBF, aposta que Neymar pedirá para não disputar a Copa América pela seleção brasileira. O dirigente afirmou que a pressão da mídia após a acusação de estupro tira as condições psicológicas do camisa 10 de disputar uma competição e ainda avisou que há um novo vídeo do caso para estourar.

Na entrevista concedida ao SBT-RS, o cartola ainda afirmou que seria melhor para todos que o atleta pedisse dispensa e que a atitude jamais vai partir da entidade ou de Tite.

"Se o Neymar vier, é capaz de o Brasil não chegar. Eu conheço a imprensa. A imprensa vai pegar no pé. E tem muito mais coisa para aparecer. Amigo meu do Rio de Janeiro disse que tem mais um vídeo para ser jogado na rua. Se eu sou o Neymar... Veja, se eu tivesse que apostar, se eu tenho 10 fichas e me perguntassem no que eu apostaria: aposta se vem ou se ele vai pedir licença? Aposto que ele não virá e que ele pedirá licença. Ele não tem condições psicológicas para enfrentar uma Copa América e um batalhão de jornalistas", afirmou.

"Seria um negócio bom para todos, para ele, CBF e para o espetáculo. Ele não vai render. Ele já deixou a desejar na Copa do Mundo. Imagina essa carga emocional? Acaba ganhando todo mundo se ele não vier jogar", completou.

Noveletto ainda afirmou que a pressão em cima dele aumentará muito com o decorrer da competição, com Neymar viajando pelas cidades do país para a disputa da Copa América.

"A torcida já ficou na bronca com ele, com a fama de cai-cai. Imagina se ele erra dois ou três passes e não vai bem no primeiro jogo? A própria torcida vai pegar no pé. A CBF não pode cortar. Foram para cima do Tite com a pergunta: seria bom cortar? Veja bem, estou falando por mim, se ele, por ventura, pedir licença, teria um bom senso da CBF. O Tite jamais vai cortar, mas, se partir dele, não tenho dúvida que a CBF vai ceder", completou.

Em entrevista concedida ainda hoje na França, no Congresso da Fifa, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, descartou a possibilidade de cortar o atleta. Ele afirmou que a entidade tem dado todo o suporte para o camisa 10 enfrentar as acusações.

Mais Seleção Brasileira